Maas defende o multilateralismo

Na Assembleia Geral da ONU, o ministro alemão de Relações Externas defendeu maior cooperação da comunidade internacional.

Maas wirbt für Multilateralismus
dpa

Nova York (dpa) – O ministro alemão de Relações Externas, Heiko Maas, defendeu com veemência na Assembleia Geral da ONU a cooperação internacional em vez de ações nacionais isoladas. «A cooperação nada tem que ver com traição ao próprio país. Ela cria, ao contrário, as condições prévias para o bem-estar nos nossos países», afirmou Maas na noite da quarta-feira, durante o debate plenário em Nova York. Nenhuma das grandes questões do futuro pode ser resolvida por um país isoladamente. «Só conjuntamente, nós lograremos respostas para a globalização, a digitalização, a migração ou para a mudança do clima, provocada pelos seres humanos».

Com isso, Maas contestou assim oradores como o presidente americano Donald Trump, o chefe de Estado do Brasil, Jair Bolsonaro e o presidente iraniano Hassan Ruhani. No seu discurso diante da Assembleia Geral, Trump afirmou: «O futuro pertence aos patriotas».

Desde julho do ano passado, Maas defende um contraponto para essa posição, através de uma «Aliança pelo Multilateralismo». Um grande evento inicial sobre isso deverá ser realizado nesta quinta-feira, com representantes de mais de 50 países, a maioria deles ministros de Relações Exteriores. A Aliança deverá reforçar os acordos internacionais existentes, levar adiante a reforma de instituições internacionais e fomentar uma cooperação mais estreita nos casos em que ainda há a necessidade de uma regulamentação internacional.

Ela está planejada como uma rede de contatos voluntários e não como um grupo com regulamentos fixos de filiação, como por exemplo o G7 ou o G20. No evento inicial, deverão ser tratados o fortalecimento do direito internacional e dos direitos humanos, o desarmamento, a prevenção de crises, a consolidação da paz, a segurança cibernética, bem como a mudança do clima.

Maas ressaltou a responsabilidade histórica especial da Alemanha quanto à cooperação internacional: «Exatamente a Alemanha, há 80 anos incendiária e destruidora na Europa e no mundo, tem que assumir hoje, de modo especial, a responsabilidade por uma ordem que dê garantias à paz».

Fonte: dpa; tradução: deutschland.de