Prêmio para Angela Merkel

Com o Prêmio Theodor Herzl, o Congresso Judaico Mundial homenageou a chanceler federal alemã como “guardiã da civilização”.

Auszeichnung für Angela Merkel
dpa

Munique (dpa) – O Congresso Judaico Mundial (WJC) reivindicou uma proibição dos partidos políticos «que apoiam a ideologia neonazista». Na entrega do Prêmio Theodor Herzl à chanceler federal alemã, na segunda-feira em Munique, o presidente do WJC, Ronald Lauder, afirmou que 75 anos após Auschwitz, o velho ódio aos judeus levanta novamente a sua cabeça. Agora é necessário agir. Ele não citou explicitamente o partido Alternativa para a Alemanha (AfD), que se tornou a segunda força partidária na eleição estadual do domingo.

Lauder conclamou todos os partidos a excluírem os antissemitas. Os delitos antissemitas têm de ser punidos com mais severamente. Todas as sinagogas e escolas judias precisam ter proteção policial. É chocante o fato de a sinagoga em Halle não ter tido proteção policial no mais importante feriado judeu, há três semanas, e somente uma porta ter impedido um massacre maior por parte de um terrorista de extrema direita.

«Temos conjuntamente de fazer frente contra o antissemitismo, o racismo, a islamofobia, a xenofobia e a homofobia», reivindicou Lauder. Merkel se opõe a tudo isso como um baluarte. Ela é «a guardiã da civilização». «Para o bem da Alemanha, da Europa e do Ocidente, desejo-lhe um longo mandato. E se estiver às vezes um pouco exausta, lembre-se que precisamos de si!».

Fonte: dpa; tradução: deutschland.de