Proteção climática “turbinada” de Habeck

O ministro de Proteção Climática, Robert Habeck, vê a Alemanha enfrentando uma tarefa gigantesca no caminho para as metas climáticas. Ele quer promover uma “turbinagem”. 

Habecks Klimaschutz-„Turbo“
dpa

Berlim (dpa) – O ministro de Proteção Climática Robert Habeck vê a Alemanha enfrentando uma tarefa gigantesca no caminho para alcançar suas metas climáticas. “Agora devemos nos tornar mais eficientes e rápidos nos próximos anos”, afirmou em Berlim na terça-feira o político do partido Verde. A velocidade de redução das emissões de CO2 deve ser triplicada, disse ele. O novo ministro também deixou claro que quer aumentar a aceitação das turbinas eólicas ou das linhas de transmissão de energia – e, ao mesmo tempo, conclamar os cidadãos à responsabilidade.

Habeck classificou a energia eólica terrestre de “burro de carga” da virada energética. A expansão deve agora ser maciçamente acelerada. Uma capacidade instalada de mais de 100 gigawatts de energia eólica terrestre é necessária até 2030, de acordo com um documento do ministério. Se incluirmos a desmontagem de instalações mais antigas nos próximos anos, isso significaria mais do que dobrar a capacidade instalada atualmente.

Habeck também quer dar um impulso à energia fotovoltaica. A capacidade instalada deverá ser aumentada para 200 gigawatts até 2030, o que representa mais do que triplicar a atual capacidade. O objetivo é utilizar todas as superfícies de telhado adequadas. Como previsto no acordo de coalizão do SPD, dos Verdes e do FDP, a geração de energia solar será obrigatória em novos edifícios comerciais e “a regra” em novos edifícios privados.

“Claro, o diabo está nos detalhes”, disse Habeck, referindo-se a protestos entre a população. Sempre que são construídas turbinas eólicas ou linhas de transmissão de eletricidade, as pessoas dizem: “Isso pode ser tudo muito bom, mas, por favor, que não esteja lá, onde sempre vou passear com meu cão no domingo”. Há sempre preocupações individuais: “Primeiro de tudo, espero que nós, como sociedade, sejamos capazes de pular por cima de nossas próprias preocupações individuais de vez em quando, caso contrário, tudo isso não dará em nada”.

Fonte: dpa, tradução: deutschland.de