Parceiros na transformação verde

Alemanha e México querem avançar com uma “aliança climática”. Como os dois países podem se beneficiar mutuamente?

Mexico City
Mexico City dpa

O México é, dentre os emergentes, um país pioneiro quanto à proteção do clima. Até 2030, o país deseja reduzir suas emissões de CO2 em mais de um terço. A Alemanha apoia o México neste intuito. Desde 2010, existe uma Aliança Alemão-Mexicana de Proteção ao Clima. A sociedade alemã de cooperação técnica GIZ coordena o intercâmbio. Cinco perguntas e respostas.

Quais são os objetivos da aliança?

A Alemanha quer apoiar o México para atingir as metas climáticas e na transformação de uma economia de energia intensiva em uma de eficiência energética. Assim, por exemplo, o México deseja implementar zonas ambientais, comércio de emissões e agências de energia. A Alemanha também pode aprender com o México. O país latino-americano é um dos poucos em todo o mundo que possui uma lei do clima, que prescreve objetivos vinculantes para a redução dos gases do efeito estufa.

O que a aliança já alcançou?

Desde o início de 2016, existe no México um registro nacional de emissões. Ele obriga empresas a divulgar suas emissões poluentes. Este é o primeiro passo para a implementação de um sistema de comércio de emissões dentro do padrão alemão e europeu. Além disso, os estados da Renânia-Palatinado e Aguascalientes cooperam, desde 2014, nas áreas de energias renováveis, eficiência energética e tecnologias ambientais. Representantes de ambos os lados se informam, durante visitas recíprocas, sobre as ideias do outro parceiro. Em consequência, nasceu também um intercâmbio científico entre universidades.

Onde a aliança é concretamente visível? 

Seguindo exemplos alemães, foi criado um tipo de zona ambiental na cidade de Cuernavaca, situada 90 quilômetros ao sul da Cidade do México. Ela prevê proibições de trânsito no centro da cidade em determinados horários. Especialistas berlinenses em questões ambientais aconselharam a cidade em sua implementação. A Aliança de Proteção do Clima organiza, além do mais, discussões e workshops com especialistas. Assim, responsáveis nos dois países podem aprender uns com os outros.

Quais desafios existem?

Apesar de ter havido uma mudança de governo em 2012, o México manteve a política de proteção ao clima, portanto, a vontade política para a cooperação em assuntos do clima permanece. Os desafios estão nos detalhes. Às vezes, interesses individuais dificultam progressos rápidos.

O que se pode esperar no futuro?

O projeto para a construção da aliança foi prorrogado até o início de 2019. Até lá, os parceiros querem sobretudo levar adiante o sistema de comércio de emissões. Além disso, outros estados mexicanos deverão fazer parte deste movimento.

© www.deutschland.de