O principal é ser individual!

Os fãs de enfeites corporais acorrem à Convenção de Tatuagem em Berlim. Um especialista cita os motivos para a tendência a tatuagens na Alemanha.

Tattoo Convention
dpa

Alemanha. Na 27ª Convenção Internacional de Tatuagem em Berlim, os artistas tatuadores de todo o mundo apresentam as mais novas tendências do setor. Quase um décimo dos alemães tem uma ou mais tatuagens – entre os jovens abaixo dos 25 anos de idade, até mesmo quase um terço é tatuado. Nas décadas de 1970 e 1980, as tatuagens ainda eram malvistas. Hoje, esse tipo de enfeite corporal foi aceito pela sociedade. 

Exemplos famosos

As tatuagens são tidas como modernas desde que pessoas famosas, como o ex-jogador da seleção nacional alemã de handebol Stefan Kretzschmar ou o futebolista inglês David Beckham, exibiram suas tatuagens como marca própria, no final da década de 1990. Hoje, os modelos são astros como Rihanna, Lady Gaga ou Justin Bieber e jogadores internacionais de futebol como Neymar ou Lionel Messi. 

Também a ciência se ocupa das tatuagens e do seu significado. Dirk Hofmeister, psicólogo da Universidade de Leipzig, acompanha a crescente predileção pelas tatuagens. “Desde o final da década de 1990 mantém-se a tendência das tatuagens na Alemanha”. Ele analisa as razões, pelas quais cada vez mais alemães se deixam tatuar. 

Hoje em dia, a tatuagem é um símbolo de status, sobretudo para os alemães jovens.

Dirk Hofmeister

Tatuagens ressaltam a individualidade

“Ressaltar a própria individualidade é o motivo principal”, diz Hofmeister. “Originalmente, apenas as pessoas marginalizadas na sociedade possuíam tatuagens. Até hoje, as tatuagens têm a imagem de desajustamento, apesar de 30% das pessoas abaixo de 25 anos de idade serem tatuadas entrementes”. Segundo Hofmeister, soma-se a isso o desejo de parecer mais atraente ou de tornar perenes os momentos positivos da vida, por exemplo, o nascimento dos filhos.

Convenção de Tatuagem, de 4 até 6 de agosto de 2017, em Berlim

© www.deutschland.de