«Airbus das baterias»

A aliança alemão-francesa para aproveitamento do hidrogênio inócuo ao clima está tomando forma concreta.

Deutsch-französische Zusammenarbeit in der Wasserstofftechnik
dpa

Paris (dpa) – A prevista cooperação alemão-francesa na tecnologia do hidrogênio está assumindo agora uma forma mais concreta, a partir de uma perspectiva parisiense. O Palácio do Eliseu anunciou na terça-feira à noite em Paris, que um projeto conjunto deverá ser lançado até o final do ano. Isto foi precedido por um diálogo tecnológico, que a chanceler alemã Angela Merkel (CDU), o presidente francês Emmanuel Macron e a presidente da Comissão Europeia Ursula von der Leyen mantiveram em videoconferência.

O ministro de Economia e Finanças da França, Bruno Le Maire, que também participou da conferência, já havia prometido essa cooperação no mês passado. A França quer investir sete bilhões de euros na tecnologia do hidrogênio a longo prazo, enquanto que a Alemanha prevê para isso investimentos de nove bilhões de euros. O modelo para Paris é o estabelecimento de uma unidade de produção de células de bateria europeias – o projeto de bilhões de euros foi impulsionado pela Alemanha e pela França em larga escala. Macron falou de "Airbus das baterias".

O uso de hidrogênio inócuo ao clima deve ser fortemente expandido de acordo com a vontade da Comissão Europeia em Bruxelas, a fim de impulsionar a virada energética.

Fonte: dpa; tradução: deutschland.de