Forte redução das emissões de CO2

A eletricidade na Alemanha vem cada vez mais de cata-ventos e instalações solares. Isso pode ser constatado também no balanço da proteção ao clima.

CO2-Ausstoß stark gesunken
dpa

Berlim (dpa) – Menos eletricidade de carvão e, em vez disso, mais energia eólica: segundo os especialistas, a virada energética trouxe para a Alemanha uma redução recorde na emissão de gases do efeito estufa no ano passado. Em comparação com 1990, as emissões de dióxido de carbono caíram em cerca de 35 %, registra a avaliação anual do laboratório de ideias Agora Energiewende, enviada à agência Deutsche Presse Agentur (dpa). Com isso, a meta de redução em 40 % no corrente ano está outra vez, surpreendentemente, «próxima da sua concretização» – até agora, o governo federal alemão e os ecologistas partiam do pressuposto de que isso não seria mais possível.

Contudo, a redução de mais de 50 milhões de toneladas de dióxido de carbono (CO2), em comparação ao ano anterior, decorre exclusivamente da produção de eletricidade. As energias renováveis – ou seja, as energias eólica, solar e hidrelétrica, bem como de biomassa – tiveram uma participação recorde de 42,6 % no suprimento do consumo bruto de eletricidade, afirma ainda a avaliação. O aumento da taxa de CO2 pela União Europeia tornou menos rentável a produção de eletricidade com hulha e linhito, prejudicial ao clima, fazendo com que ela fosse fortemente reduzida.

Fonte: dpa; tradução: deutschland.de