Ministra do Meio Ambiente elogia as decisões da Conferência Mundial do Clima

O abandono do carvão deverá ser decidido em todo o mundo. A ministra alemã do Meio Ambiente Svenja Schulze elogiou como histórico o acordo logrado na Conferência Mundial do Clima. 

Umweltministerin lobt Beschlüsse der Weltklimakonferenz
dpa

Glasgow (dpa) – De acordo com a ministra alemã do Meio Ambiente, Svenja Schulze, as decisões da Conferência das Nações Unidas sobre a Mudança Climática prepararam o terreno para uma eliminação global do uso do carvão. «Agora está claro mundialmente que haverá um abandono gradual do carvão e que haverá um fim dos subsídios aos combustíveis fósseis», disse Schulze. Em Glasgow, «algo verdadeiramente grandioso para o mundo foi alcançado». A questão agora é expandir as energias renováveis, reumidificar as turfeiras e regenerar as florestas.

Pela primeira vez, a Conferência da ONU sobre o Clima havia conclamado os países do mundo a começarem a abandonar gradualmente o carvão. A declaração intitulada «Pacto Climático de Glasgow», aprovada no sábado por cerca de 200 países, exige também o corte dos subsídios «ineficientes» para petróleo, gás e carvão. No entanto, a formulação foi enfraquecida no último minuto devido à pressão da China e da Índia. Algumas das decisões tomadas em Glasgow foram consideradas insuficientes, especialmente por ambientalistas e ativistas do clima.

Na declaração final, os países se comprometem claramente com o objetivo de conter o aquecimento global em 1,5 grau, em comparação aos tempos pré-industriais – e não em menos de dois graus, como foi formulado no Acordo de Paris de 2015. Para este fim, eles devem intensificar até o final de 2022 os seus planos de proteção climática para esta década, até agora insuficientes. A declaração também afirma que as emissões globais de gases nocivos ao clima devem cair 45 % na década de 2020 para que o limite de 1,5 grau seja alcançado. Também foi prometida mais ajuda financeira aos países pobres para que possam enfrentar as consequências da crise climática, em muitos lugares fatais.

Fonte: dpa; tradução: deutschland.de