Novos planos para o “Green Deal”

Segundo a vontade da Comissão da UE, a Europa deve tornar-se a pioneira mundial da alimentação sustentável e da diversidade biológica.

Neue Pläne zum „Green Deal“
dpa

Bruxelas (dpa) – Um selo de valor nutritivo nos alimentos, menos pesticidas nas lavouras, mais proteção para a natureza afligida: segundo a vontade da Comissão da UE, a Europa deve tornar-se a pioneira mundial da alimentação sustentável e da diversidade biológica. Na quarta-feira, a autoridade europeia apresentou seus planos para uma Europa inócua ao clima até 2050, como parte da «Green Deal» europeu.

Ao lado de uma estratégia de fortalecimento das espécies, trata-se concretamente de uma estratégia «da fazenda para o prato», em prol de uma produção ecológica de gêneros alimentícios. A meta é o emprego de menos pesticidas, antibióticos e adubos, a melhoria da defesa dos animais, além da introdução de uma pesca sustentável. Ao mesmo tempo, deverão ser reduzidos a quantidade de alimentos desperdiçados e do lixo de embalagens. A fim de facilitar aos consumidores a escolha nos supermercados, a Comissão da UE sugere a criação de um selo obrigatório de valor nutritivo para os alimentos.

A segunda estratégia deverá assegurar a diversidade das espécies, que sofreu uma redução drástica nas décadas passadas. Ponto central do plano de biodiversidade é a ampliação das áreas de proteção: 30 % das áreas territoriais e marítimas europeias deverão ser postas sob proteção, 10 % devem até mesmo ser deixadas praticamente em seu estado natural, sob condições rigorosas. Além disso, será estabelecida a meta de plantar três bilhões de novas árvores até 2030.

Fonte: dpa; tradução: deutschland.de