Steinmeier na cúpula da Iniciativa Três Mares

A Iniciativa Três Mares, de doze Estados da Europa central e ocidental, é mais importante do que nunca, segundo a opinião do presidente federal alemão Steinmeier.

Steinmeier bei Gipfel der Drei-Meere-Initiative
picture alliance/dpa

Riga (dpa) - A Iniciativa Três Mares, de doze Estados da Europa central e ocidental, é mais importante do que nunca, segundo a opinião do presidente federal alemão Steinmeier. A intenção de  desenvolver e conectar mais intensamente a região entre o Mar Báltico, o Mar Adriático e o Mar Negro “era no passado uma coisa abstrata para muitas pessoas“, disse Steinmeier em Riga, na reunião de cúpula dessa iniciativa.           

Os ataques da Rússia à Ucrânia teriam deixado bem claro – também para aqueles que tinham sido indiferentes a essa iniciativa – que uma coisa seria necessária: “Temos que aumentar a nossa resistência em diferentes setores”. Isto seria o caso do abastecimento energético, da infraestrutura e das capacidades digitais. Tudo isso teria sido atingido pelos ataque russos à Ucrânia. A Alemanha não é membro, mas somente um país parceiro dessa iniciativa fundada em 2015.  

A essa iniciativa pertencem os países bálticos da Estônia, Letônia, Lituânia, os países de Visegrado, ou seja, a Polônia, a República Tcheca, a Eslováquia e a Hungria, os dois países do Mar Negro Bulgária e Romênia, os da região adriática Eslovênia e Croácia, assim como também a Áustria. Steinmeier relatou que a Polônia teria feito a proposta de convidar a Ucrânia, ao lado da sua aproximação à UE, para cooperar com a Iniciativa Três Mares.

Fonte: dpa, tradução: deutschland.de