A nova invenção dos bancos

Um crescente número de empresas novas está desenvolvendo tecnologias para o mundo financeiro, transformando, assim, o cenário dos bancos.

dpa/Soeren Stache

“Banking is necessary, banks are not”. Esta frase de Bill Gates é o rótulo do mais novo ramo da finança, a “FinTech”, a abreviação de Finanças com Tecnologia. No cosmos de Big Data, Cloud-Computing, Apps e Algoritmos, jovens empresários usam startups e também modelos de cooperação com bancos sólidos para criar novas soluções para bancos e empresas de seguro.

“Between the Towers”

Os Estados Unidos e a Grã-Bretanha são os pioneiros deste desenvolvimento, mas a Alemanha está ganhando terreno, pois mais de 500 milhões de euros foram investidos em empresas alemãs de FinTech em 2015, que se concentram regionalmente em Berlim e Frankfurt do Meno. Nesta metrópole financeira do Meno encontra-se, por exemplo, o segundo maior banco alemão, o Commerzbank, que há dois anos entrou em parceria com o grupo FinTech “Main Incubator”, onde se presta assistência a startups na realização de suas ideias de negócio. Os líderes do ramo encontram-se uma vez ao mês no evento “Between the Towers”. Um centro de FinTech deverá dar início às suas atividades em Frankfurt ainda em 2016. Esta cidade oferece as melhores condições, pois é uma combinação entre praça internacional de bancos, universidades de grande gabarito de pesquisa e firmas inovadoras de IT. Além disso, ela leva a vantagem de estar localizada no centro da Europa, o que já vem atraindo investidores e inovadores de toda a Alemanha, da Áustria, da Suíça e da Europa Central, que se reúnem regularmente em foros de FinTech no aeroporto de Frankfurt.

www.main-incubator.de

www.fintechforum.de

© www.deutschland.de