Pesquisar juntos

Cooperação científica entre a Alemanha e a América Latina: aqui você pode ler o quão estreita e frutífera é a cooperação 

Uma visão do futuro: este é o aspecto que o CTA terá em 2025.
Uma visão do futuro: este é o aspecto que o CTA terá em 2025. Akihiro Ikishita BMBF

A América Latina ganhou em importância como polo científico nas últimas décadas. E também aumentou a cooperação alemã em pesquisa com os países da região – isto vale principalmente para o Brasil, o México, a Colômbia e a Argentina. Apresentamos aqui as forças impulsionadoras mais importantes para o trabalho em rede das comunidades de pesquisa e de alguns de seus projetos.

Sociedade Max Planck

A Sociedade mantém os Institutos Max Planck e organizações parceiras em todo o mundo. O início da cooperação com a América Latina data da década de 1950, mas as cooperações oficiais se desenvolveram apenas gradualmente. Desde 2011, o Instituto de Pesquisa Biomédica de Buenos Aires – CONICET – Partner Institute of the Max Planck Society (IBioBA-MPSP), na Argentina, vem servindo como uma cabeça de ponte para a América Latina.

Os cientistas latino-americanos fazem seu doutorado nos Institutos Max Planck ou fazem estadias de pós-doutorado na Alemanha. Além do instituto parceiro na Argentina, existem cerca de 50 grupos de pesquisa associados na América Latina e cerca de 160 projetos de pesquisa entre os Institutos Max Planck e parceiros na região. Mais de 650 pesquisadores da América Latina realizam pesquisas nos Institutos Max Planck, a maioria dos quais estão localizados na Alemanha. Exemplos de projetos são:

  • APEX – Os altiplanos e desertos dos Andes no Chile são um lugar ideal para telescópios de alto desempenho. Em 2003, o Atacama Pathfinder Experiment lançou as bases para o grande telescópio ALMA, que está em operação desde 2013.
  • CTA – O deserto do Atacama receberá também o Cherenkov-Teleskop-Array (CTA) do Hemisfério Sul, enquanto o do Hemisfério Norte será construído em La Palma. O primeiro dos 100 telescópios em ambos os locais foi concluído lá em 2018. Em 2022, os primeiros telescópios deverão entrar em operação, e até 2025 ambas as instalações deverão estar concluídas e medir os raios gama do espaço. Os Institutos Max Planck de Física (Munique) e de Física Nuclear (Heidelberg) participam do CTA.
  • ATTO – Já nos anos 60, o Instituto Max Planck criou uma estação de pesquisa ecológica tropical em Manaus, em cooperação com o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA). Desde então, o Instituto Max Planck de Química e o Instituto Max Planck de Biogeoquímica vêm realizando pesquisas ecológicas e atmosféricas no Observatório da Torre Alta da Amazônia (ATTO).
Centro de cooperação com o Fraunhofer: O centro de projetos em São Paulo.
Centro de cooperação com o Fraunhofer: O centro de projetos em São Paulo. Fraunhofer

Fraunhofer

No Brasil, a Sociedade Fraunhofer é representada por um Escritório de Ligação Fraunhofer em São Paulo e pela Plataforma de Inovação Fraunhofer para Novos Sistemas Alimentares, bem como pelo Centro de Projetos Fraunhofer para Inovações em Manufatura Avançada no Estado de São Paulo. Estas cooperações formam a estrutura para projetos de pesquisa conjunta com os parceiros brasileiros. O objetivo: desenvolver produtos e processos inovadores e fortalecer as pequenas e médias empresas em ambos os países através de projetos de desenvolvimento e inovação orientados para a aplicação.

O Centro de Pesquisa para Tecnologias de Energia Solar Fraunhofer Chile (FCR-CSET), em Santiago, foi criado em 2015 para apoiar o desenvolvimento de uma economia solar sustentável no Chile, juntamente com o Instituto Fraunhofer de Sistemas de Energia Solar ISE. O centro trabalha com temas orientados à aplicação em fotovoltaicos, energia solar térmica, calor de processo, armazenamento de calor e tratamento/dessalinização de água.

DWIH

O Centro Alemão de Inovação e Ciência DWIH em São Paulo promove o intercâmbio entre instituições científicas na Alemanha e no Brasil. É apoiado pelo DAAD, o DFG, o governo alemão, além de inúmeras instituições de ensino superior e informa os interessados sobre oportunidades de estudo e pesquisa na Alemanha, entre outras coisas. O tema central para pesquisa e eventos em 2021 é “Sociedade em Transição: Impacto da pandemia”.

DFG

A Comunidade Alemã de Pesquisas (DFG) fomenta a cooperação internacional através de relações com organizações parceiras. Desde 2006, a associação financiada pelos governos federal e estaduais da Alemanha envia pesquisadores de confiança ao Chile e ao México. Desde 2011, a DFG mantém um escritório em São Paulo, Brasil, que serve como ponto de contato para todos os pesquisadores da América Latina.

A DFG trabalha em estreita colaboração com a FAPESP (Fundação de Pesquisa de São Paulo), que financia pesquisas no Estado de São Paulo. Também mantém parcerias com organizações de financiamento de pesquisa na Argentina, Brasil, Chile, Costa Rica, Colômbia e México. Dependendo da organização parceira, as medidas de financiamento conjunto são divulgadas em licitações ou como possibilidade de requerimento de financiamento no Standing Open Procedure (SOP).

Fomentar a pesquisa e fazer pesquisa juntos: estes são os principais objetivos da cooperação.
Fomentar a pesquisa e fazer pesquisa juntos: estes são os principais objetivos da cooperação.
AdobeStock/BillionPhotos.com

BMBF

Através do seu departamento internacional, o Ministério Federal de Educação e Pesquisa (BMBF) fornece aos pesquisadores, entre outras coisas,  financiamento para a mobilidade relacionada a projetos.

Desde 2017, foram fomentados no Brasil dois projetos para a construção de infraestruturas de pesquisa conjunta. As iniciativas estão investigando questões relacionadas à aquacultura e as consequências da mudança climática nas regiões metropolitanas. Nos departamentos do BMBF, cerca de 20 projetos cooperativos de P&D são financiados pelo BMBF, em conjunto com o Brasil. No âmbito do financiamento do BMBF para a “Bioeconomy International”, o Brasil é um dos países prioritários, somando-se a isto projetos sobre matérias primas economicamente estratégicas. Aqui há uma visão geral:

Projetos bilaterais e multilaterais com financiamento do BMBF

DAAD

O escritório do DAAD em São Paulo está localizado no mesmo prédio que o escritório de contato da DFG. O Brasil também é na América Latina o mais importante país de intercâmbio, seguido pelo México e a Colômbia. No início de 2021, o Centro de Informação do DAAD na Colômbia foi transformado num escritório de campo do DAAD para atender o crescente número de estudantes colombianos na Alemanha.

O DAAD apoia centros de excelência em países da América Latina, incluindo

  • o Centro Corporativo de Excelência em Ciências Marinhas CEMarin, na Colômbia.
  • o Centro de Excelência com os departamentos de Astronomia, Ciências da Terra e Meio Ambiente, Informática Médica e Física Médica do Centro Heidelberg da América Latina HCLA, no Chile.
  • o Centro de Pesquisa da Paz no Instituto Colombiano-Alemão para a Paz CAPAZ, na Colômbia.

© www.deutschland.de