Estudo sem fronteiras na Europa

Se quiser estudar na Europa, você tem muitas possibilidades. Duas blogueiras do YouTube narram aqui as suas experiências.

Um estudo na UE abre todas as portas para você.
Um estudo na UE abre todas as portas para você. Daniel Ernst/stock.adobe.com

O tempo de estudante é também uma boa época para conhecer coisas novas: novos países, uma nova língua, uma outra cultura e muitas pessoas. Um estudo no exterior oferece tudo isso a você. Se você vem da Europa e deseja estudar num outro país europeu, você tem uma enorme escolha de possibilidades – e para isso pode obter também apoio financeiro. Por exemplo, através do programa Erasmus+: o programa de intercâmbio da União Europeia incentiva estadia de estudos de até um ano de duração. Mesmo que você não venha de um país da UE, você pode beneficiar-se do programa. Pois estudantes de determinados países fora da UE, por exemplo da Albânia, de Israel ou da Geórgia, também podem receber o fomento.

A atual geração do Erasmus+ expira no final de 2020. Mas o programa bem-sucedido terá continuidade depois disso. Se depender da Comissão Europeia, os recursos do programa de intercâmbio deverão até mesmo aumentar para o dobro de até agora.

Lina, da Austrália, aproveita a generosidade da UE. Ela narra em vídeo sobre o seu ano de estudos na Alemanha – e como isso marcou a sua vida. Hoje, Lina vive na Inglaterra e estuda Psicoterapia.

Bom para os estudantes: nas universidades da Europa cresce o número de cursos superiores com orientação internacional, lecionados em inglês. Seja o curso de master em Engenharia Energética em Munique, o bacharelado em Bioinformática em Roma ou o master sobre o tema da Mudança do Clima em Copenhague – há entretanto para quase todos os setores uma oferta internacional num país europeu.

Andy, da Espanha, decidiu-se por um estudo universitário na Alemanha e, para isso, mudou-se por cinco anos para Berlim. No vídeo, ela revela que experiências teve na Alemanha como estudante internacional – e até mesmo mostra a vocês as universidades berlinenses por dentro.

Mais possibilidades de mudar para uma universidade no exterior surgem, além disso, através das recém nomeadas 17 “Universidades Europeias”. Para isso, vão cooperar no futuro, através das fronteiras, universidades em diversos países, possibilitando a seus estudantes a obtenção de certificados europeus. Como isso funciona, é demonstrado pelo exemplo de sete universidades europeias de ponta, que criaram a rede universitária CIVICA. Aqui se juntam estudo, aprendizado e pesquisa nas ciências sociais, humanas e estatais, bem como administração de empresas, superando as fronteiras culturais, linguísticas e nacionais. Quatro temas são as prioridades: os desafios para a democracia no século 21, transformações sociais no contexto dos surgimentos de crises globais, a futuro da Europa, bem como métodos baseados em dados nas ciências sociais.

Laura, da Alemanha, decidiu-se por um estudo na Escócia. No vídeo, ela conta como surgiu tal decisão, que planos ela tem para o futuro e como o Brexit afeta o seu estudo na Escócia.

Se lhe interessar saber das experiências de estudantes alemães no exterior, acesse simplesmente o portal “Estudar em todo o mundo“. Para a campanha do Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico (DAAD), estudantes relataram em alemão sobre as suas estadias no exterior.

Mais uma dica: caso você esteja pensando em estudar na Alemanha, o portal “Study in Germany”, preparado pelo DAAD, oferece grande volume de informações dirigidas especialmente para os interessados nos estudos, com muitas dicas sobre o estudo universitário na Alemanha.

Também em deutschland.de, nós reunimos para vocês muitas informações sobre os estudos na Alemanha.

You would like to receive regular information about Germany? Subscribe here: