50 anos do Centro Alemão de Pesquisa do Câncer

O Centro Alemão de Pesquisa do Câncer, em Heidelberg, comemora em 2014 o cinquentenário da sua fundação.

picture-alliance/dpa - Harald  zur  Hausen
picture-alliance/ZB - Cancer research

Foi um dos pontos altos de uma fantástica história de sucesso: em 2008, Harald zur Hausen foi agraciado com o Prêmio Nobel de Medicina. O cientista, que atua no Centro Alemão de Pesquisa do Câncer (DKFZ), identificou o vírus do papiloma humano como o causador de tumores no colo do útero, possibilitando assim o desenvolvimento de uma vacina contra uma das mais frequentes doenças cancerosas da mulher. Um enorme progresso na medicina.

A luta contra o câncer não é composta, contudo, somente de tais triunfos. Em geral, são inúmeros pequenos passos que conduzem ao êxito. No DKFZ, 765 pesquisadores e seus assistentes trabalham todos os dias, com o objetivo de elucidar os segredos dessas terríveis doenças e de buscar novas estratégias para combatê-las. O instituto, fundado em 1964, logrou conquistar um grande renome internacional. Especialmente produtiva é também a integração do Centro com o setor comum de pesquisas da Universidade de Heidelberg e com o European Molecular Biological Laboratory (EMBL), também sediado em Heidelberg. Além disto, a Universidade e o DKFZ mantêm conjuntamente, desde 2003, o Centro Nacional de Doença Neoplásicas.

Na área de pesquisas da biologia celular e de tumor, os especialistas do DKFZ estudam, entre outras coisas, o surgimento da leucemia. Nisto, o gene inibidor de crescimento Pten desempenha um papel central. Quando o Pten é defeituoso, isto gera uma proliferação doentia dos leucócitos, os glóbulos brancos do sangue. Os afetados, com frequência crianças, sofrem então de leucemia. A equipe do DKFZ, sob a direção de Andreas Trumpp, logrou analisar com maior exatidão as ligações entre o Pten e a produção de leucócitos. O defeito genético não gera diretamente a divisão incontrolada das células-tronco do sangue na medula óssea, mas provoca a superprodução de um neurotransmissor. Este, por sua vez, faz com que numerosas células-tronco migrem dos ossos para a reprodução no baço e incita também os leucócitos já existentes à proliferação. É o começo de uma fatal reação em cadeia, que talvez possa ser eliminada dentro em breve através de medicamentos.

Dia Internacional do Câncer Infantil em 15 de fevereiro

www.dkfz.de

www.nct-heidelberg.de

www.kinderkrebsstiftung.de

http://icccpo.org/index.cfm

© www.deutschland.de