O Centro Alemão de Pesquisa de Inteligência Artificial

Os cientistas do Centro Alemão de Pesquisa de Inteligência Artificial desenvolveram um computador de autoaprendizagem, dando início a uma revolução.

dpa/Michael Bahlo - German Research Center for Artificial Intelligence

Procurar um estacionamento horas a fio? Isso já era! O “Smart Parking”, um projeto de mobilidade, apresentado na 10ª Cúpula Nacional de TI, deverá facilitar a procura de um lugar de estacionamento, reduzindo, ao mesmo tempo, a intensidade do trânsito nos centros das cidades. Através de um app de acesso a serviços integrados, os usuários recebem um prognóstico da situação de estacionamento. Esta solução de hardware foi desenvolvida no âmbito de um projeto comum entre o Centro Alemão de Pesquisa de Inteligência Artificial (DFKI) e parceiros da indústria e pesquisa.

Soluções inteligentes de mobilidade são um dos setores centrais da pesquisa do DFKI, fundado em 1988 e que conta atualmente com um total de cerca de 800 empregados de mais de 60 nações, os quais cobrem quase todos os temas tecnológicos, sejam estes o comando de robôs, a tecnologia linguística, as redes inteligentes ou a realidade aumentada. Os 180 projetos têm em comum o computador e a inteligência artificial que assumem um papel central nas atividades. Os pesquisadores do DFKI vêm fazendo experimentos, já há muito tempo, com as chamadas redes neuronais, filtros matemáticos comutados um após outro. Os computadores peneiram os dados, reconhecendo estruturas. Os programas inteligentes e de autoaprendizagem reconhecem o conteúdo das imagens, entendem as línguas e podem classificar as emoções nas redes sociais.

O DFKI já chamou a atenção de Google

Wolfgang Wahlster, chefe do DFKI, e seus funcionários já deram início a uma revolução, elaborando uma tecnologia que ensina aos computadores como pensar. Neste meio tempo, grandes aglomerados empresariais, como já foi o caso de Google, estão demonstrando interesse pelo DFKI, com suas filiais em Kaiserslautern, Saarbrücken, Bremen e Berlim. Google já investiu milhões de euros e é um dos 24 associados do DFKI.

No novo “Living Lab Smart Office Space”, os pesquisadores da Technische Universität Kaiserslautern e do DFKI vêm se ocupando com a questão de como  poderá ser o escritório do futuro. A estreita cooperação entre o DFKI e seus parceiros da ciência e indústria torna possível interligar a pesquisa de base com a pesquisa orientada na aplicação, fazendo com que as ideias sejam diretamente postas em prática. Após um começo bem sucedido de dois “Living Labs” sobre os temas „Smart Factory“ e “Smart City”, Wolfgang Wahlster espera que o novo laboratório de pesquisa tenha “inovações que possam ser apalpadas”.

www.dfki.de

© www.deutschland.de