Papai Noel de Landau

O caricaturista Thomas Nast, nascido no Palatinado, criou a figura original do Papai Noel, hoje conhecida mundialmente.

Thomas Nast

Quase todo mundo conhece o símbolo do cifrão ($); a maioria conhece o Papai Noel; muitos americanos, o elefante que representa o Partido Republicano; ou também o Tio Sam. Mas poucos sabem que esses símbolos e desenhos saíram da pena do caricaturista alemão-americano Thomas Nast.

Nast nasceu em Landau em 1840. Quando tinha a idade de seis anos, sua mãe emigrou com ele e sua irmã para os EUA, para fugir das condições de pobreza da terra natal. Seu pai seguiu quatro anos depois para Nova York. Thomas teve grandes dificuldades de adaptação e principalmente com a escola. Mas logo foi descoberto o seu grande talento como desenhista. Ele tomou aulas desenho – e, com 15 anos de idade, candidatou-se a um emprego na revista semanal nova-iorquina “Frank Leslies’s Illustrated Newspaper”. Sua coragem compensou, ele conseguiu o emprego. Foi o começo de uma carreira empolgante, em cujo apogeu Nast ganhava quase o mesmo que o presidente dos Estados Unidos.

Na “Harper’s Weekly”, para a qual trabalhou posteriormente, ele criou a sua figura mais famosa: o Papai Noel. Em 1862, o presidente Abraham Lincoln tinha solicitado pessoalmente ao editor que publicasse uma “imagem muito especial de Natal” na capa da popular revista. Nast conversou com a sua irmã, que era professora de escola em Nova York. Os dois lembraram-se da sua infância na Alemanha. O resultado foi o Papai Noel, conhecido até hoje como “Santa Claus” nos Estados Unidos e que, nesse meio-tempo, é símbolo do Natal também em muitos outros países.

 © www.deutschland.de