Freiburg em Breisgau

Na série “Minha Cidade”, de deutschland.de, os prefeitos revelam suas dicas. 4ª parte: O prefeito Dieter Salomon sobre Freiburg.

picture-alliance/dpa - Freiburg
picture-alliance/dpa - Freiburg

Sr. Salomon, o que há de especial na sua cidade?

Um ex-prefeito criou o ditado “Em Freiburg, a república começa a tornar-se italiana”. Isto encerra muitas verdades sobre o estilo de vida e a qualidade de vida de Freiburg, sobre a vitalidade da sociedade urbana, do centro científico com uma das melhores universidades e grandes institutos de pesquisa, sobre a diversidade cultural. Os cidadãos de Freiburg são abertos em relação a tudo o que é novo, eles são afeitos a discussões e experimentos e politicamente sensíveis.

 

O que o senhor vê, quando olha pela janela do seu gabinete?

Uma pomposa janela saliente renascentista, que hoje pertence ao conjunto da Caixa Econômica. Lá viveu e trabalhou durante alguns anos, no começo do século 16, Erasmo de Roterdã, o grande teólogo e humanista.

 

Em que lugar da sua cidade, o senhor mais gosta de estar?

Na praça da Velha Sinagoga que, no momento, está em obras. Ali estava a sinagoga até que os nazistas a destruíram em 1938. Hoje, a praça incorpora o perfil como cidade cultural e como cidade da ciência. O teatro, a universidade e a recém-reformada biblioteca universitária são seus vizinhos diretos. Agora, com a construção de um novo metrô, começa também a completa reforma e remodelação da praça.

 

Por quais personalidades da sua cidade, o senhor tem maior estima?

Em primeiro lugar, por Gertrud Luckner (1900–1995). Ela arriscou a saúde e a vida para salvar judeus da perseguição e da deportação, por encargo do então arcebispo de Freiburg. Em 1944, ela foi mandada para o campo de concentração. Após 1945, Gertrud Luckner foi uma das grandes pioneiras pela compreensão e reconciliação entre a Alemanha e Israel. E então, o cartógrafo Martin Waldseemüller que, no início do século 16, foi o primeiro a dar ao novo continente, num mapa-múndi, o nome de “América”, em homenagem ao navegador Américo Vespúcio. América vem, pois, de Freiburg.

 

Que lugar o senhor gostaria de mostrar aos turistas?

O Instituto Fraunhofer de Sistemas de Energia Solar, cuja sigla é ISE, um dos cinco Institutos Fraunhofer em Freiburg e, com mais de 1200 funcionários, o maior em todo o país. Ali é desenvolvido o futuro de um abastecimento energético sustentável. A maior parte das patentes mundiais da tecnologia solar vem do ISE.

 

Em que lugar/em que oportunidade se pode conhecer melhor as pessoas da sua cidade?

Todos os dias, fazendo compras, passeando e espairecendo na feira de Münstermarkt. É uma das mais belas feiras livres da Alemanha. Aqui as pessoas se encontram, conversam, tomam um vinho juntas, e aqui se fica sabendo de coisas que nunca estarão no jornal.

 

E onde o senhor, de preferência, passa as suas férias?

Onde as montanhas e o mar não estiverem muito longe um do outro.

www.freiburg.de

© www.deutschland.de