A diretora Maren Ade

A tragicomédia “Toni Erdmann” foi indicada para o Oscar, na categoria de melhor filme estrangeiro. Um retrato da diretora Maren Ade.

dpa - Maren Ade

Foi o sucesso do cinema no verão europeu, elogiado pela crítica com aplausos entusiásticos em Cannes, vendido em muitos países e, agora, indicado para o Oscar. “Toni Erdmann”, a história cômico-dramática, de Maren Ade, sobre uma relação entre pai e filha. Mas quem é essa mulher atrás da câmera? Qual é a receita de sucesso da diretora Maren Ade, até agora pouco conhecida pelo grande público? 

Na lista “Wacht” de “Variety”

Maren Ade, nascida em1976, é uma perfeccionista. Ela pesquisa muito e intensamente sobre sua matéria, demorando anos para escrever o roteiro que é, então, posto em prática minuciosamente. Para tanto, ela manda repetir algumas cenas 30 ou 40 vezes. Os cenários também são escolhidos com toda precisão. Além disso, ela tem um fraco por histórias de famílias. Entre seus ídolos estão Ingmar Bergman (“Cenas de um Casamento”), John Cassavetes (“Uma Mulher sob Influência”), Michelangelo Antonioni (“A Noite”) e também Rainer Werner Fassbinder. Mas, ao contrário de Fassbinder, que rodou um filme após o outro, ela só roda um filme cada seis ou sete anos. Eles foram, até agora, “A Floresta para Árvores” (2003), “Todos os Outros” (2009) e, agora, “Toni Erdmann” (2016). Ade também faz a apresentação dos seus filmes com muito esmero... e sucesso. O filme “A Floresta para as Árvores” foi mostrado em 2005, no Sundance Festival nos EUA, recebendo do júri o Prêmio Especial. “Todos os Outros” foi apresentado em 2009 na Berlinale e ganhou o grande Prêmio do Júri. “Toni Erdmann” foi mostrado em 2016 em Cannes, não recebeu nenhum prêmio, mas foi o filme mais badalado pelo público e pela crítica. Para essa perfeccionista foi “um pesadelo” ter de se apressar com a filmagem, terminando tudo quatro dias antes da estreia.  Mas tudo indica que “Toni Erdmann” vai ser um sucesso. A influente revista norte-americana “Variety” colocou Ade Maren na lista dos “10 Directors to Watch”. E Hollywood já está falando de uma versão com Jack Nicholson. A produtora de filmes Paramount Pictures já assegurou para si os direitos de filmagem da tragicomédia. 

Entrega do Oscar em 26 de fevereiro de 2017 em Los Angeles

© www.deutschland.de