Será que “Blue Crude” pode salvar o clima?

Do casamento entre dióxido de carbono, água e eletricidade ecológica, uma firma de Dresden conseguiu criar um supercombustível inócuo ao meio ambiente.

sunfire GmbH, Dresden / renedeutscher.de - Energy

Alemanha. Enquanto a Alemanha discute sobre as vantagens e desvantagens do combustível Diesel, uma empresa de Dresden está trabalhando para lançar no mercado livre um desenvolvimento revolucionário. A firma Sunfire conseguiu fabricar o combustível “Blue Crude”, um substituto do petróleo inócuo ao meio ambiente, produzindo-o a partir do dióxido de carbono (CO2), da água e da eletricidade ecológica. Se a produção for feita em grande escala, o trânsito e a calefação – que juntos provocam dois terços das emissões de gás de efeito estufa – poderão contribuir de maneira excepcional para a proteção do clima.

Blue Crude
sunfire GmbH, Dresden / renedeutscher.de

Passou pelo teste

Utilizando uma instalação “Power-to-Liquids”, que gera um líquido de hidrocarbonetos através de eletrólise, a firma Sunfire conseguiu produzir, em maio de 2017, três toneladas do substituto sintético do petróleo, o “Blue Crude” (azul cru), à base de fontes renováveis de energia, de CO2 e de água. “Muitos setores da nossa economia são dominados pelo uso do petróleo. Muitas coisas do dia a dia,  de tênis esportivos até produtos cosméticos, são impensáveis sem o petróleo”, diz Nils Aldag, Chief Commercial Officer de Sunfire. “O Blue Crude é agora um substituto do petróleo isento de CO2, que pode ser produzido no mundo todo com a nossa tecnologia, contribuindo muito para que possamos alcançar os objetivos da proteção do clima”.

Refinarias e postos de gasolina continuam existindo

A empresa automobilística Audi recebeu uma parte do “Blue Crude” produzido. Os testes teriam comprovado sua qualidade, declararam os produtores. O combustível baseado em produtos brutos sintéticos tem um alto índice de cetano, demonstrando ter ótimas qualidades de combustão. Além disso, ele não possui enxofre e compostos aromáticos e quase não emite fuligem na queima. “O uso de Blue Crude é o meio mais eficiente para conseguir, a médio prazo, um tráfego de longa distância e um tráfego aéreo renováveis, dado que a infraestrutura de refinarias, de postos de gasolina e dos meios de transporte podem continuar existindo”, afirma Christian von Olshausen, Chief Technology Officer da Sunfire.

Não é mais caro que Diesel?

Atualmente, a produção em escala industrial ainda é cara demais. Mas Aldag está confiante de que os custos de produção poderão baixar ao nível dos combustíveis usados. Se as condições básicas fiscais e reguladoras forem adaptadas, nada mais poderá impedir o avanço. Parceiros fortes, como Audi, Boeing e Thyssen Krupp Marine Systems já manifestaram seu interesse. 

© www.deutschland.de