Quem está por detrás de “Fridays for Future”?

Quem são os jovens na Alemanha que saem às ruas para defender a proteção do clima? Uma pesquisa esclarece isso.

Fridays for Future: Os alunos também manifestam na Alemanha pela proteção do clima
Os alunos também manifestam na Alemanha pela proteção do clima Tobias Schwarz/Getty Images

Apolíticos e hedonistas? Que nada! Uma pesquisa sobre o movimento "Fridays for Future" acaba com os preconceitos sobre a jovem geração. Os alunos na Alemanha e em muitos outros países exigem da política uma reação rápida contra a mudança do clima.

Somente em Berlim, cerca de 20 000 pessoas – principalmente jovens – saíram às ruas em 29 de março para participar do movimento “Fridays for Future”. Esta foi a mais significativa manifestação pelo clima na Alemanha. Um dos motivos dessa participação recordista foram as atividades de Greta Thunberg, a ativista sueca de 16 anos que, lutando pela proteção do clima através de greves escolares, desencadeou um movimento internacional.
 

Os manifestantes pelo clima são jovens e bem instruídos

Mas quem é que sai às ruas para manifestar? Para responder a essa pergunta, os grupos de pesquisadores questionaram, em 15 de março de 2019, os manifestantes de nove países europeus, empregando um esquema padrão. A pesquisa na Alemanha foi dirigida pelo Instituto de Pesquisa de Protestos e Movimentos (ipb). O que os pesquisadores descobriram sobre os ativistas do clima foi o seguinte:
 

  • 57,6 por cento são pessoas femininas
  • a média etária é de 25,8 anos
  • 52,8 por cento têm de 14 a 19 anos
  • 55,6 por cento querem fazer uma conclusão de ensino médio ou ginasial, ou já têm uma destas conclusões
  • 43,6 por cento vêm da alta classe média
  • 16,8 por cento têm histórico migratório
  • 53,3 por cento reconhecem ser politicamente de esquerda
     

Quase 20 por cento estão convictos de que as decisões políticas poderiam abrandar a mudança do clima. Outros 40 por cento admitem que isso é possível. Mesmo assim, menos de cinco por cento não dirigiu essa reivindicação diretamente a um político ou uma política. Para proteger o clima, a maioria dessas pessoas tenta mudar seu estilo de vida, reduzindo o consumo (70, 5 por cento), mudando a alimentação (68 por cento), economizando energia (61 por cento) e desistindo de viajar de avião (39,5 por cento).

Quem ou o que motiva os jovens alemães a participar das manifestações pelo clima? Para um terço, o impulso vem de amigos ou da mídia social. Cerca de 70 por cento dizem que seu interesse pela mudança do clima cresceu graças à jovem Greta Thunberg.
 

Proteger o clima ou matar aula?

Os protestos de “Fridays for Future” são uma boa oportunidade para não ira à escola? Esta suposição foi refutada por uma sondagem feita pela universidade de Constança, segundo a qual mais de 95 por cento dos questionados foram da opinião de que suas atividades poderiam mudar algo. E destes, somente um décimo presumiu que os protestos também seriam uma boa oportunidade para enforcar aula.

Qual é a importância da proteção do clima para os alemães?

Em uma sondagem “Eupinions”, da Fundação Bertelsmann, nove de dez alemães apreciaram a proteção do clima como sendo uma tarefa urgente que tem de ser efetuada aqui e agora.

No Barômetro Político de abril de 2019, da instituição Forschungsgruppe Wahlen, os questionados também colocaram a proteção do clima e do meio ambiente entre os mais importantes temas na Alemanha. Trinta e sete por cento esperam que os protestos de “Fridays for Future” façam com que a política se empenhe mais pela proteção do clima, mas a maioria de 67 por cento tem dúvidas quanto a isso.

© www.deutschland.de

You would like to receive regular information about Germany? Subscribe here: