Vocês precisam conhecer estas cidades

Dez cidades alemãs, fora dos grandes circuitos turísticos, que têm algo especial a oferecer. 

Reise: zehn deutsche Städte, die man gesehen haben muss
Smileus/stock.adobe.com

Alemanha. Claro, Berlim é uma atração para turistas de todo o mundo. Mas, ao lado da capital federal e das dez «Cidades Mágicas» – Düsseldorf, Dresden, Frankfurt do Meno, Hamburgo, Hanôver, Colônia, Leipzig, Munique, Nuremberg e Stuttgart, muitas outras cidades na Alemanha são dignas de ser visitadas. A redação de deutschland.de preparou uma seleção:

Reise: zehn deutsche Städte, die man gesehen haben muss

Bacharach tem uma localização especialmente bonita na paisagem cultural do Vale do Reno Médio, com seus muitos castelos. Que tal uma prova de vinhos e um passeio de barco pelo Reno, passando ao longo do famoso penhasco da Loreley? 

Reise: zehn deutsche Städte, die man gesehen haben muss - Bacharach
dpa

Essen, no centro da Região do Ruhr, tem sua atratividade baseada na combinação entre a indústria, a arte e a natureza. Antigamente marcada pela indústria pesada, Essen foi em 2017 a “Capital Verde da Europa”. Prédios industriais tornaram-se centros artísticos. Um modelo de sucesso na transformação estrutural. 

Reise: zehn deutsche Städte, die man gesehen haben muss - Essen
dpa

Garmisch-Partenkirchen é o paraíso do esporte de inverno na Alemanha, no extremo sul da Baviera, e oferece elegância mundana no bairro de Garmisch e um charme alpino em Partenkirchen. O melhor ponto de partida para um passeio de gôndola ao pico mais alto da Alemanha, o Zugspitze.

Reise: zehn deutsche Städte, die man gesehen haben muss - Garmisch-Partenkirchen
dpa

Görlitz foi premiada em 2017 como a melhor locação de cinema na Europa. Seu charmoso bairro histórico serve frequentemente como cenário para filmes de Hollywood. Uma ponte sobre o rio Neisse liga Görlitz com Zgorzelec na Polônia, formando uma cidade dupla alemão-polonesa. 

Reise: zehn deutsche Städte, die man gesehen haben muss - Görlitz
dpa

Heidelberg é mundialmente famosa como cidade romântica às margens do rio Neckar. Mas é também um centro da Filosofia, da Ciência e da Medicina, com a mais velha universidade da Alemanha e a renomada Clínica Universitária. 

Reise: zehn deutsche Städte, die man gesehen haben muss - Heidelberg
dpa

Lindau está entre os lugares mais atraentes no Lago de Constança, pois seu bairro histórico com os prédios tombados pelo Patrimônio está localizado numa ilha. Do farol tem-se uma fantástica vista panorâmica do Lago de Constança e dos Alpes. 

Reise: zehn deutsche Städte, die man gesehen haben muss - Lindau
dpa

Quedlinburg convida a uma viagem no tempo para a Idade Média: num labirinto de intrincadas vielas, enfileiram-se mais de 2.000 casas de enxaimel. A cidadezinha de mais de 1.000 anos, em meio à paisagem rústico-romântica da montanha central do Harz, é Patrimônio Cultural Mundial da UNESCO. 

Reise: zehn deutsche Städte, die man gesehen haben muss - Quedlinburg
dpa

Regensburg impressiona com um imponente panorama histórico à margem do Danúbio. No bairro histórico, que também é Patrimônio Cultural Mundial da UNESCO, há 1.000 monumentos para serem descobertos. Ao mesmo tempo, é uma moderna cidade universitária, com o maior estádio de beisebol da Alemanha. 

Reise: zehn deutsche Städte, die man gesehen haben muss - Regensburg
dpa

Sellin é um dos balneários tradicionais de Rügen, a maior ilha da Alemanha. O símbolo de Sellin é um pavilhão marítimo com 394 metros de extensão. O calçadão à beira-mar, com arquitetura balneária histórica, convida a um passeio descontraído e na praia do Mar Báltico pode-se encontrar conchas e âmbar. 

Reise: zehn deutsche Städte, die man gesehen haben muss - Sellin
dpa

Weimar reúne o clássico e o moderno: aqui viveram e trabalharam Goethe, Schiller, Bach e Liszt; aqui Walter Gropius fundou em 1919 a universidade da Bauhaus. Mas também o capítulo mais tenebroso da História alemã está presente: o antigo campo de concentração de Buchenwald, hoje um memorial. 

Reise: zehn deutsche Städte, die man gesehen haben muss - Weimar
dpa