A Casa do Emigrante em Bremerhaven

O museu do emigrante impressiona visitantes e especialistas pela maneira emocional e ao mesmo tempo fundamentada como trata o tema

picture-alliance/chromorange - German Emigration Center

É uma xícara de cafezinho comum, mesmo que bem trabalhada. Porcelana vermelha com uma borda dourada, da marca Beyer & Bock, produzida provavelmente no anos 1920. Até aqui nada de espetacular. Mas para Renate Hills, em solteira Dewosch, a xícara era algo muito especial. O café tomado nela tinha o gosto de seu país, uma pátria muito distante.

Renate Dewosch tinha 15 anos quando deixou a Berlim pós-guerra e emigrou com seus pais para os EUA. Em 7 de fevereiro de 1952 a família embarcou no SS Homeland em Cuxhaven com destino a Nova York. Na bagagem de Renate estava a xícara de cafezinho, um presente de sua tia Martha. Sempre que visitava a tia no bairro berlinense de Tempelhof, bebia café naquela xícara. Ela guardou a relíquia como lembrança durante décadas.

A história de Renate Dewosh é apenas uma das inúmeras que a Casa do Emigrante Alemão em Bremerhaven quer contar, e a xícara de cafezinho um dos muitos objetos expostos que tornam essas histórias palpáveis. O museu existe há mais de dez anos, em janeiro de 2016 a Fundação Casa do Emigrante Alemão, promotora do museu, festeja dez anos de existência.

7,2 milhões de emigrantes embarcaram ali

A cidade portuária de Bremerhaven não foi escolhida por acaso para sediar o museu. Ali embarcaram entre 1830 e 1974 cerca de 7,2 milhões de pessoas com destino ao Novo Mundo. No museu da migração, que utiliza técnicas moderníssimas, os visitantes mergulham profundamente nas histórias das famílias de emigrantes, encontram informações sobre os contextos históricos e podem assistir a curtas-metragens emocionantes sobre o tema fuga e migração no cinema Roxy do próprio museu.

A maneira sensível e ao mesmo tempo fundamentada de tratar o tema impressiona os visitantes e os especialistas. Em 2007 a Casa do Emigrante ganhou o prêmio de Museu Europeu do Ano, do qual se vangloriam museus como o Guggenheim em Bilbao ou o Museu Victoria e Albert em Londres.

www.dah-bremerhaven.de

© www.deutschland.de