“Valores ocultos”

Como você avalia o ambiente social na Alemanha?

dpa/McPHOTO - social climate index

Há um índice de ambiente de negócios, um índice de ambiente de consumo. Por que não um índice de ambiente social, pergunta Alexander Dill, fundador do “Basel Insitute of Commons and Economics”. Este sociólogo, que se ocupa com a pesquisa econômica alternativa e a economia dos presentes, desenvolveu um questionário, através do qual ele quer obter dados com a maior precisão possível sobre a qualidade do ambiente social em diversos lugares da Alemanha e do mundo.

Senhor Dill, o que distingue um bom ambiente social?
Um bom ambiente social é aquele, onde as pessoas têm confiança mútua, são prestativas e hospitaleiras.

O senhor tem uma ideia, de quais lugares vão estar nos primeiros lugares do índice de ambiente social?
Nossos testes em Nepal, São Paulo, Munique e Basileia mostraram em princípio que o ambiente social em localidades pobres é melhor do que em ricas.

Há uma explicação para isso?
Temos algumas ideias. Tome, por exemplo, Munique. O intercâmbio entre as pessoas nos bairros mais pobres é mais intenso. Ao contrário, nos bairros de população preponderantemente rica há pouco contato entre as pessoas. Nem se fala em ser prestativo e hospitaleiro.

Então, na sua opinião, os lugares muitos sociais na Alemanha são aqueles, onde há os maiores problemas econômicos?
Sim, essa é a tendência. Vejamos a Região do Ruhr. Dá na vista que a hospitalidade lá é particularmente acentuada, também junto aos habitantes com maior salário. O resultado da nossa sondagem poderia ser, então, que a equiparação estabelecida entre felicidade e riqueza, por um lado, e alta renda per capita, por outro, não é justificável.

Quem poderia tirar proveito desse resultado? O senhor vê o ambiente social como fator local, mas o senhor tem mais interesse antes por fatores rígidos, não é?
Sim, é certo. E precisamente por isso temos na Alemanha esse desequilíbrio. Em algumas cidades grandes, as pessoas que ganham menos quase já não podem viver com suas famílias. Se o ambiente social fosse um critério mais forte para investimentos e na decisão de onde se constrói e mora, haveria uma distribuição muito melhor. Isto poderia atenuar a tensão, em vez de estimular cada vez mais a alta de preços nas regiões prósperas. Por isso, creio que é importante fazer também um levantamento de dados de fatores não materiais e não apenas do Produto Nacional Bruto. Assim, identificamos valores ocultos.

Seu levantamento de dados baseia-se exclusivamente em apreciações pessoais. Que validade tem isso?
Observamos que quase ninguém avalia o ambiente social totalmente diferente do seu vizinho. As respostas são dadas independentemente e são honestas. Se o ambiente social é bom, todos o dizem. E se ele é ruim, também. Por isso, o índice de ambiente social é objetivo e também uma motivação.

O que os municípios podem fazer para melhorar o ambiente social?
Eles poderiam, por exemplo, animar os centros de suas cidades. Como viajante, nota-se bem rápido se o ambiente social é bom, constatando se o centro da cidade ainda é animado, ou se já morreu. Mostrar-se em público já melhora o ambiente social. Este também é o motivo porque nós, os alemães, sempre queremos viajar para a Itália. Queremos nos sentar na “Piazza”, onde sempre está acontecendo algo, onde existe um bom ambiente social. Temos saudade disso. Agora se trata de encenar a “Piazza” em nós mesmos. Praticar turismo ou viajar nada mais é do que a esperança de encontrarmos um outro ambiente social, um ambiente social positivo.

Por falar em viagem: Como os estrangeiros avaliam o ambiente social na Alemanha?
Melhor do que nós próprios. Essa diferença existe em todas os países, mas, na Alemanha, ela é muito grande.

Onde o senhor pôde verificar o melhor ambiente social?
Fiz um estudo entre mineiros nepaleses. Perguntamos a eles, o que eles dariam de presente a outras pessoas, fora da própria família, sem esperar uma retribuição. 99% de todos os questionados responderam: comida e bebida. Isto é admirável, pois os meios alimentícios são seus únicos bens econômicos. Seria como se alguém na Alemanha desse automóveis de presente.

Como você avalia o ambiente social na Alemanha?