A Alemanha se beneficia da criação de empresas por migrantes

Há anos, a Alemanha se beneficia de pessoas com raízes estrangeiras que criam seus próprios negócios.

Deutschland profitiert von Existenzgründungen durch Migranten
dpa

Frankfurt do Meno (dpa) – De acordo com um estudo, a criação de empresas por migrantes desempenha um papel importante para a economia alemã. «As start-ups são importantes para o poder de renovação e, portanto, para a viabilidade futura de uma economia nacional», explica Fritzi Köhler-Geib, a economista-chefe do banco estatal de desenvolvimento KfW. «Há muitos anos, a Alemanha tem se beneficiado, portanto, da grande disposição de migrantes para criarem seus próprios negócios». Isto foi evidente também em 2019.

No ano passado, houve 605.000 empresas iniciando negócios, em cerca de 160.000 casos os fundadores tinham raízes estrangeiras. Em comparação com o ano anterior, sua participação aumentou significativamente em 5 pontos percentuais, para 26%, como mostra uma avaliação especial do relatório de fundação de empresas do KfW. De acordo com Köhler-Geib, o espírito de inovação e a orientação de crescimento dos migrantes possuem grande potencial.

Grande êxito atual é demonstrado pela empresa Biontech, sediada em Mainz. A empresa e sua parceira americana Pfizer apresentaram resultados parciais encorajadores sobre a eficácia da sua vacina contra o coronavírus. A Biontech foi fundada há doze anos pelo oncologista Uğur Şahin e sua esposa Özlem Türeci. Şahin, que nasceu na Turquia e depois veio para a Alemanha com seus pais, fez seu doutorado em Colônia. Türeci, que nasceu na Alemanha, fez seu doutorado em Homburg, no Estado do Sarre.

Mais informações em Fundadores da Biontech.

Fonte: dpa; tradução: deutschland.de