G7 quer quebrar o bloqueio das exportações de cereais

Os ministros das Relações Exteriores do G7 se reúnem no Mar Báltico. Annalena Baerbock adverte sobre uma crise alimentar mundial por causa da guerra russa contra a Ucrânia. 

G7 will Blockade ukrainischer  Getreideexporte brechen
dpa

Wangels (dpa) – O G7, grupo das sete principais nações industriais democráticas, quer assegurar que a Ucrânia possa continuar sendo uma grande exportadora de cereais, apesar da guerra de agressão da Rússia. Os países do G7 estão discutindo em conjunto como quebrar o bloqueio de cereais exercido pela Rússia e levar cereais ucranianos para o mundo, disse a ministra das Relações Externas Annalena Baerbock (Os Verdes) nesta quinta-feira, no início das consultações com colegas de pasta dos outros países do G7 na praia de Weissenhäuser, no Mar Báltico. Atualmente estão bloqueadas nos portos ucranianos por causa da guerra – especialmente em Odessa –, 25 milhões de toneladas de cereais, disse ela.

A Alemanha preside atualmente o G7. Além da República Federal da Alemanha, pertencem ao grupo outros países da OTAN, como os EUA, Canadá, França, Grã-Bretanha e Itália, bem como o Japão.

Os cereais são urgentemente necessários nos países africanos e no Oriente Médio, disse Baerbock. Há uma incipiente crise alimentar, exacerbada ainda pelos efeitos globais das mudanças climáticas. A Ucrânia é um dos mais importantes fornecedores de cereais do mundo. Segundo dados da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), em 2021 ainda era o terceiro maior exportador de cevada e o quinto maior exportador de trigo.

Nesta sexta-feira, o ministro dos Negócios Estrangeiros da Moldávia, Nicu Popescu, estará temporariamente presente na reunião do Mar Báltico, assim como seu colega ucraniano, Dmytro Kuleba. Teme-se que a pequena república vizinha da Ucrânia possa ser o próximo alvo da Rússia. O ministro indonésio das Relações Exteriores, Retno Marsudi, também deverá participar da reunião em alguns momentos. A Indonésia preside atualmente o Grupo dos 20 países industrializados e emergentes mais importantes (G20).

Fonte: dpa, tradução: deutschland.de