Baerbock na Ucrânia: “Não desistir”

A ministra alemã das Relações Externas Annalena Baerbock encontrou-se com o presidente Volodymyr Zelensky, o ministro das Relações Exteriores Dmytro Kuleba e o prefeito de Kiev, Vitali Klitschko. 

Baerbock in der Ukraine: „Nicht nachlassen“
dpa

Kiev (dpa) – Em sua primeira visita à Ucrânia desde o início da invasão russa, a ministra Annalena Baerbock prometeu um amplo apoio para a investigação de crimes de guerra. Não deve haver «impunidade para os crimes de guerra cometidos pela Rússia, para os sequestros, para os assassinos e estupradores», disse ela numa reunião com seu colega ucraniano Dmytro Kuleba, em Kiev, na terça-feira.

Na capital Kiev, Baerbock reabriu a embaixada alemã que, em meados de fevereiro, havia suspendido temporariamente seus trabalhos devido à guerra de agressão da Rússia – simbolicamente, a ministra hasteou a bandeira alemã em frente à embaixada. Baerbock, que foi o primeiro membro do governo alemão a visitar a Ucrânia desde o início da guerra, também havia se encontrado anteriormente com o presidente Volodymyr Zelensky. Zelensky agradeceu a Baerbock a solidariedade da Alemanha para com o povo ucraniano.

Baerbock informou a Zelensky que começará dentro de poucos dias o treinamento de soldados ucranianos no moderno tanque PzH-2000, que a Alemanha entregará à Ucrânia, juntamente com a Holanda. Segundo Baerbock, ela manteve uma «conversa aberta e amigável» com Zelensky. Eles trataram também da reconstrução.

Numa reunião com o prefeito de Kiev, Vitali Klitschko (foto), Baerbock disse ao final da visita que a Alemanha tem a obrigação de «não desistir da solidariedade, de não desistir da ajuda, seja ela humanitária, seja na área de apoio médico, mas também de ajuda militar». O antigo campeão mundial de boxe Klitschko agradeceu em alemão: «Muito obrigado ao governo alemão».

Fonte: dpa, tradução: deutschland.de