Fortalecida após a crise

A chanceler federal Angela Merkel fala sobre as metas da Alemanha durante a presidência do Conselho da UE

"Neutralidad climática de Europa hasta 2050"
dpa

Berlim (dpa) – A chanceler federal Angela Merkel (CDU) deseja aproveitar a presidência da Alemanha no Conselho da UE para fortalecer a Europa após a crise do coronavírus. «Por um lado, temos de vencer as consequências da crise, mas também, ao mesmo tempo, tornar a Europa mais resistente e mais apta para o futuro», afirmou ela num pronunciamento oficial, nesta quinta-feira, no Parlamento Federal alemão. A Alemanha assume a presidência do Conselho da UE por seis meses, a partir de 1º de julho. «Assumimos essa responsabilidade num momento em que a União Europeia enfrenta o maior desafio da sua história», afirmou Merkel.

«A pandemia nos mostrou: nossa Europa é vulnerável». Por isso, nunca foram tão importantes quanto hoje a coesão e a solidariedade na Europa, ressaltou a chanceler. «Nossa meta comum tem de ser agora, superar a crise conjunta e sustentavelmente, com a visão voltada para o futuro. E exatamente isto será o motivo condutor da nossa presidência do Conselho da UE». Merkel admitiu que a Europa se comportou de maneira «irracional» no início da crise: «Os primeiros reflexos, também os nossos, foram nacionais e não inteiramente europeus».

Merkel anunciou que o governo alemão estabelecerá a África como uma prioridade da política externa durante a presidência alemã do Conselho da UE. «Já agora pode-se constatar que os países da África sofrem de forma especialmente grave com as consequências econômicas e sociais da pandemia do coronavírus».

Fonte: dpa; tradução: deutschland.de