Governo alemão a favor de sanções mais duras contra a Rússia

Chanceler Scholz exige inteiro esclarecimento dos fatos e abre a perspectiva de novas medidas contra o presidente Putin da Rússia.

Bundesregierung für härtere Sanktionen gegen Russland
dpa

Berlim (dpa) – O chanceler alemão Olaf Scholz manteve a perspectiva de novas sanções contra a Rússia após as atrocidades cometidas em Bucha, na Ucrânia. «Decidiremos sobre outras medidas juntamente com nossos aliados nos próximos dias», anunciou Scholz, sem dar mais detalhes. O presidente russo Vladimir Putin e seus apoiadores deverão sentir as consequências. «E continuaremos a fornecer armas para que a Ucrânia possa se defender contra a invasão russa».

Em Bucha, um subúrbio de Kiev, foram encontrados corpos de moradores nas ruas após a retirada das tropas russas. As imagens causaram horror internacional. Scholz exigiu uma investigação dos atos: «O assassinato de civis é um crime de guerra. Devemos investigar inteiramente estes crimes cometidos pelas forças armadas russas».

A ministra alemã das Relações Externas, Annalena Baerbock, pronunciou-se a favor de levar os criminosos de guerra a julgamento no Tribunal Penal Internacional. Ela descreveu as imagens de Bucha como «insuportáveis». No Twitter, ela responsabilizou pessoalmente o presidente russo Putin: «A violência desenfreada de Putin extermina famílias inocentes e não conhece fronteiras». Os responsáveis por «estes crimes de guerra» devem ser responsabilizados.

O presidente alemão Frank-Walter Steinmeier declarou em Berlim: «Os crimes de guerra cometidos pela Rússia são visíveis diante dos olhos do mundo». Ao mesmo tempo, ele garantiu à Ucrânia a solidariedade da Alemanha.

Fonte: dpa, tradução: deutschland.de