Ministra das Relações Externas em turnê pela Alemanha

A Alemanha quer desenvolver uma estratégia de segurança nacional. A ministra das Relações Externas Annalena Baerbock viaja pela Alemanha para conversar com cidadãos e empresas sobre isso. 

Außenministerin auf Deutschland-Tour
dpa

Rostock (dpa) – A ministra das Relações Externas Annalena Baerbock está fazendo uma turnê de vários dias pela Alemanha, para reunir informações e sugestões concernentes a uma estratégia de segurança nacional. A política do Partido Verde disse no início da viagem na quinta-feira, em Rostock, que a estratégia não deveria abranger apenas a segurança da Alemanha e da Europa em geral, mas também a sensação de segurança da pessoas individualmente. «Nós sabemos que segurança sempre significa algo muito pessoal».

Sua viagem deve ser, portanto, uma «turnê de escuta», disse Baerbock. É importante para ela levar em conta na nova estratégia as preocupações e temores da geração mais jovem. Por esta razão, a ministra das Relações Externas faz a turnê num ônibus pela Alemanha até o final da próxima semana, com interrupções.

Em Rostock, Baerbock se informou no Instituto Fraunhofer de Processamento Gráfico de Dados sobre a poluição marinha causada por munições das guerras mundiais e sobre o recolhimento dessas munições. Segundo estimativas, ainda existem 1,6 milhões de toneladas de munição convencional nas águas alemãs dos mares do Norte e Báltico. A ministra viajou posteriormente para Bremen, onde planejava visitar a OHB System AG, que fabrica satélites.

Esta é a primeira vez que um governo alemão elabora uma estratégia abrangente de segurança nacional. Isso foi planejado antes da guerra da Ucrânia, que gerou uma reviravolta na política externa e de segurança alemã. Agora, as Forças Armadas alemãs devem ser modernizadas maciçamente.

O Ministério das Relações Externas é o responsável pela estratégia de segurança, mas também estão envolvidos todos os ministérios relacionados com a segurança. Baerbock disse estar preocupada com uma segurança em rede, «que é mais do que diplomacia e conceito militar juntos». O projeto deve levar em conta três dimensões: a segurança contra guerra e violência, o fortalecimento da democracia e a segurança da subsistência. A nova estratégia deve ser elaborada até o início do próximo ano, no mais tardar.

Fonte: dpa, tradução: deutschland.de