Nenhuma alteração na política do coronavírus

Na Alemanha, as medidas de combate à pandemia do coronavírus permanecerão em vigor. O governo alemão iniciou, entretanto, uma nova campanha de vacinação. 

Olaf Scholz nach Beratungen zu Corona-Maßnahmen
dpa

Berlim (dpa) – Na Alemanha, as restrições atuais permanecem inalteradas, mesmo no contexto de rápida disseminação da variante Ômicron do coronavírus. Isto foi acertado pelo chanceler Olaf Scholz na segunda-feira, numa reunião com os governadores dos Estados federais. «Por enquanto, devemos manter as diretrizes», disse o chanceler.  O rumo tomado com restrições muito rígidas de contato contribuiu para que a Alemanha possa enfrentar a pandemia atualmente de forma diferente do que muitos países vizinhos. «No entanto, o número de infecções é muito alto, e é por isso que devemos continuar a ser cautelosos».

Para aumentar a taxa de vacinação na Alemanha, o governo federal quer incentivar ainda mais do que antes a vacinação contra o coronavírus. Com grande empenho, o governo lançou uma nova campanha de vacinação e de reforço, explicou Scholz. Além de cartazes com o mote «Vacinação ajuda», haverá agora mais chamadas no rádio e também em plataformas de mídia social. O objetivo é convencer o maior número possível de pessoas a se deixarem vacinar nos próximos dias e semanas – especialmente para a primeira dose de vacina e a terceira dose de reforço.

Até agora, 75,5 % da população na Alemanha recebeu pelo menos a primeira dose da vacina contra o coronavírus, de acordo com o Instituto Robert Koch (RKI). O governo alemão tem como objetivo a vacinação de 80 % da população com a primeira dose até o final do corrente mês. 73,4 % da população já dispõem de uma proteção básica completa. Isto requer normalmente duas doses de vacina. De acordo com o RKI, mais da metade da população na Alemanha já recebeu uma dose de reforço da vacina.

Fonte: dpa, tradução: deutschland.de