Roteiro para renunciar ao carvão

Agora ficou esclarecido, quando e como as usinas termelétricas a carvão, prejudiciais ao clima, serão eliminadas da rede elétrica na Alemanha.

Fahrplan für Kohleausstieg steht
dpa

Berlim (dpa) – O governo federal alemão, os Estados e os operadores das usinas acertaram o roteiro para eliminar o carvão da rede de produção de eletricidade da Alemanha até 2038. Para o desligamento prematuro das usinas termelétricas, os operadores receberão indenizações num total de 4,35 bilhões de euros, segundo afirmou o ministro alemão das Finanças, Olaf Scholz (SPD). Os operadores no Oeste alemão deverão receber 2,6 bilhões de euros, segundo Scholz, e os do Leste alemão, 1,75 bilhão de euros pelo desligamento das instalações.

A decisão foi tomada num encontro de cúpula do governo federal alemão e dos quatro Estados produtores de carvão, que durou toda a noite de ontem.

No mais tardar até 2038, a Alemanha pretende eliminar toda a produção de eletricidade com linhito e hulha, prejudiciais ao clima. As regiões de produção de carvão deverão receber, por sua vez, ajuda no total de 40 bilhões de euros para a adaptação das suas economias. O pacote de medidas prevê que, nos anos 2026 e 2029, deverão ser feitos controles para verificar se os planos estão sendo cumpridos.

Fonte: dpa; tradução: deutschland.de