Scholz: Apoio à Ucrânia é «legado» de 8 de maio

Num discurso transmitido pela televisão no 77º aniversário do fim da guerra mundial, no dia 8 de maio, o chanceler sublinhou a solidariedade da Alemanha para com a Ucrânia. 

Scholz: Unterstützung für Ukraine „Vermächtnis“ des 8. Mai
dpa

Berlim (dpa) – O chanceler Olaf Scholz salientou a responsabilidade histórica da Alemanha em apoiar a Ucrânia contra a guerra de agressão da Rússia. «Aprendemos uma lição central com a história catastrófica do nosso país entre 1933 e 1945», disse Scholz num discurso transmitido pela televisão no 77º aniversário do fim da Segunda Guerra Mundial na Europa, no dia 8 de maio de 1945: «Nunca mais guerra. Nunca mais genocídio. Nunca mais tirania». Na situação atual, isso só pode significar: «Defendemos a lei e a liberdade – do lado dos agredidos. Apoiamos a Ucrânia na luta contra o agressor».

Scholz enfatizou estar profundamente convencido de que o presidente russo Vladimir Putin não ganhará a guerra. A Ucrânia sobreviverá. «A liberdade e a segurança triunfarão – assim como a liberdade e a segurança triunfaram sobre a falta de liberdade, a violência e a ditadura há 77 anos». Contribuir para isso da melhor maneira possível significa hoje o «nunca mais». Este é o legado de 8 de maio.

O presidente alemão Frank-Walter Steinmeier falou de uma «ruptura histórica». O ataque à Ucrânia foi também «um ataque à ideia da democracia liberal e aos valores em que ela se baseia: Liberdade, igualdade, respeito aos direitos humanos e à dignidade humana». Com plena convicção e de coração, a Alemanha, juntamente com seus vizinhos europeus, está do lado da Ucrânia. Ele acrescentou que uma lição de 8 de maio de 1945 foi que os europeus não devem se deixar dividir novamente pelo nacionalismo e pela xenofobia. «Não se deve permitir que o nacionalismo, a xenofobia e a loucura imperialista dominem o futuro da Europa».

Fonte: dpa, tradução: deutschland.de