Carona em viagem espacial

Alexander Gerst é o terceiro alemão a pesquisar a bordo da ISS.

picture-alliance/dpa - Alexander Gerst

Quando Alexander Gerst olha pela janela, ele vê o mundo por uma perspectiva completamente diferente à de alguns meses antes. A 400 quilômetros de altitude, ele flutua sobre a Terra. A vista para o globo terrestre, de tirar o fôlego, não é entretanto a única razão pela qual ele está passando meio ano no espaço. Nascido em Baden-Württemberg, Gerst embarcou numa cápsula russa em 28 de maio de 2014 para uma estada na Estação Espacial Internacional (ISS), como astronauta cientista e engenheiro de voo da missão “Blue Dot”. Até novembro, ele realizará mais de 100 experimentos em diversas disciplinas científicas.

Numa experiência para a NASA, por exemplo, o geofísico de 38 anos pesquisa como diferentes substâncias reagem quando submetidas ao fogo, na ausência de gravidade. Em outro experimento para a agência europeia ESA, ele investiga o comportamento de mistura de emulsões. Muitas de suas experiências são feitas em seu próprio corpo: elas tratam de mudanças no relógio biológico, na massa corporal e na pele humana no espaço, entre outras. A duração de bolhas de sabão no cosmo é o foco de um experimento encomendado por estudantes. Com sua ideia de pesquisa, eles venceram o concurso “Aktion 42”. Cinco outros astronautas estão com o alemão a bordo da ISS: Reid 
Wiseman e Steven Swanson, dos Estados Unidos, e os russos Maxim Surajew, Alexander Skworzow e Oleg Artemjew. Após Thomas Reiter e Hans Schlegel, Gerst é o terceiro alemão embarcado na Estação Espacial Internacional. Ao todo, 11 pesquisadores alemães já viajaram ao espaço.

www.dlr.de