O Ano Científico Voluntário

Antes de começar seu estudo universitário, os alunos do ensino médio ganham experiência na pesquisa, fazendo o Ano Científico Voluntário, uma nova variante do Serviço Voluntário.

picture-alliance/dpa - Voluntary Scientific Year

Prática, em vez de teoria, trabalhar junto com pesquisadores, ter acesso a lugares normalmente inacessíveis e nos quais sempre ocorrem coisas interessantes. Tudo isto é oferecido por um Ano Científico Voluntário (FWJ) na Alemanha, uma nova alternativa do Ano Social Voluntário ou Ano Ecológico Voluntário. O objetivo é entusiasmar os jovens pela ciência. A universidade Medizinische Hochschule Hannover (MHH) e alguns institutos parceiros deram início, em 2011, ao primeiro projeto modelo para um FWJ. Desde então, eles vêm acompanhando todo um ano cerca de 60 alunos – que estão concluindo o ensino médio – nos setores da Biomedicina, Química, Física ou Engenharia. Os alunos tomam conhecimento ao vivo da ciência, daquilo que os pesquisadores realmente fazem, de como eles trabalham, de como eles se organizam. Tudo gira em torno, por exemplo, de soros de vacinas, de células-tronco, terapias genéticas, física quântica ou pesquisa de laser.    

Acesso a temas e lugares normalmente inacessíveis

Tim Holler fez a conclusão ginasial “Abitur” e depois um tal FWJ, pesquisando em um laboratório sobre uma doença cardíaca congênita. Ele se sentiu muito aliviado em não começar a estudar imediatamente depois do grande estresse da “Abitur”, mas de ter feito um FWJ. Não são muitos os jovens que podem afirmar ter cooperado em tais temas em uma atmosfera internacional. Antes de começar seus estudos, Holler e seus colegas do FWJ ganham uma grande experiência em um possível campo profissional futuro. E também se engajam voluntariamente, servindo à ciência, à sociedade e a si próprios.  

Além disso, principiantes do estudo de Medicina aproveitam o FWJ para não desperdiçar inutilmente o tempo de espera de uma vaga de estudo. Eles trabalham 38,5 horas por semana, recebendo uma compensação por despesas de 400 euros mensais. Na MHH foram feitas boas experiências com o FWJ. Mais de 200 jovens candidatam-se a uma de cerca de 60 vagas anuais. O praticante do FWJ Tim Holler também aproveitou esse ano para decidir que direção ele deveria tomar profissionalmente e na sua vida privada, depois do ginásio. O que ele já sabe é que irá trabalhar no campo científico.

www.mh-hannover.de

© www.deutschland.de