O que se deve saber sobre Diane Kruger

A atriz alemã Diane Kruger foi premiada no Festival de Cinema de Cannes como melhor atriz, pelo seu desempenho no drama “Aus dem Nichts” (em inglês, “In the Fade”), de Fatih Akin.

dpa - Diane Kruger und Regisseur Fatih Akin

De onde vem Diane Kruger?

Ela nasceu em 1976 no Estado da Baixa Saxônia, no vilarejo Algermissen, de 8 000 habitantes, perto de Hildesheim. Seu nome é realmente Diane Heidekrüger, com o trema em cima do “u”. Dado que ela já fora bem cedo para Paris e, depois, para os EUA, ela abreviou seu nome, dando-lhe a forma internacional mais comum “Kruger”. Ela deixara a Alemanha há 25, tendo vivido na França, no Canadá e nos EUA. 

Como ela se tornou conhecida?

Primeiramente, Diane Kruger fez carreira como modelo, tendo sido descoberta com 15 anos de idade em um concurso de moda (“Look of the year 1992). Ela frequentou aulas de dramaturgia, fazendo,  em 2004,  o papel da linda Helena em “Troia”, filme de Hollywood, do diretor alemão Wolfgang Petersen, ao lado de Orlando Bloom e Brad Pitt. E ela desempenhou um papel espetacular em “Ingloriuos Basterds”, de Quentin Tarantino, sendo estrangulada pelo próprio cineasta. Neste meio tempo, ela já participou como atriz em mais de 30 filmes.

O que seu papel em “Aus dem Nichts” tem de especial?

O papel de Diane Kruger no filme do diretor de Hamburgo é seu primeiro papel em língua alemã. Até agora, ela representara papeis em produções internacionais e norte-americanas. Para se preparar para esse filme, ela passou bastante tempo na Alemanha. O filme festeja sua estreia mundial em Cannes. O enredo trata de atos terroristas dos neonazistas, tendo paralelos com o processo da vulga “Clandestinidade Nacional-Socialista” (NSU). Diane Kruger faz o papel de uma mulher que perde sua família em um ataque a bomba e que quer se vingar. Poderia ser seu grande passo em direção a um outro gênero cinematográfico.

O que ela própria diz sobre o preêmio?

No seu discurso de agradecimento, Kruger dedicou o prêmio a todos as vítimas do terror. “Nada que eu possa dizer pode confortar os familiares das vítimas. A única coisa que posso dizer é que nós não esqueceremos delas”. E disse ainda: “Estou muito orgulhosa e agradecida esta noite. E me sinto muito feliz. Foi um papel que me transformou como pessoa. É o forte dos filmes de Fatih, que possuem também um fundo social e político. E o papel de Katja foi para mim muito emocionante do ponto de vista humano”. Este prêmio para Kruger é o primeiro prêmio para uma atriz alemã em um papel principal desde 1986, ano em que Barbara Sukowa ganhou o prêmio pela interpretação de “Rosa Luxemburg” no filme de Margarethe von Trotta.

O que ainda a une com Cannes?

Kruger, que fala fluentemente francês, foi a primeira alemã a apresentar a cerimônia de abertura e entrega dos prêmios do 60º Festival Internacional de Cinema de Cannes em 2007. Em 2012, ela foi membro do júri do 65º Festival. 

© www.deutschland.de