Jazz na Alemanha

No Dia Internacional do Jazz, inúmeros eventos relembram a importância deste estilo musical.

dpa/Eventpress Herrmann - Till Brönner

“Quem tem o swing dentro de si não pode mais marchar a passo militar”. Esta é uma das mensagens básicas de Heinz Jakob “Coco” Schumann. O músico berlinense de raízes judias, hoje com 91 anos de idade, sobreviveu nos campos de concentração de Theresienstadt, Auschwitz e Dachau, como músico de jazz numa banda de prisioneiros denominada “Ghetto-Swingers”. Em 2011, para refletir sobre suas raízes, sua importância e seu futuro, a Unesco também declarou o dia 30 de abril como Dia Internacional do Jazz. Assim, em mais de 190 países em todos os continentes festeja-se este ano com concertos e performances a história, a atualidade e o futuro do jazz.

“A força subversiva do jazz”

Também na Alemanha, serão celebrados muitos eventos, a fim de atrair a atenção para este importante estilo musical. No Estado do Sarre, por exemplo, três músicos alemães sob a liderança do trombonista Christof Thewes tocam para recordar “a força subversiva do jazz”. Eles dedicam sua apresentação ao trombonista de jazz de Frankfurt, Albert Mangelsdorff, falecido em 2005. Ele e seu irmão Emil (saxofone), de 86 anos, marcaram o cenário alemão de jazz durante muitas décadas. Mas, principalmente, eles narraram nas escolas, como testemunhas históricas, a forma como foram maltratados e presos pela Gestapo, durante a ditadura nazista, porque faziam parte do cenário proibido de jovens adeptos do swing.

Atualmente, o mais conhecido e bem-sucedido músico alemão de jazz é, sem dúvida, Till Brönner (44 anos). O trompetista estudou jazz na renomada Escola Superior de Música de Colônia e, ainda jovem, tocou junto com astros internacionais como Dave Brubeck. Ele trabalha também como cantor, compositor e arranjador e gravou, por exemplo, um CD com Carla Bruni, esposa do ex-presidente francês Nikolas Sarkozy. Brönner é professor na Escola Superior de Música Carl Maria von Weber, em Dresden, e foi membro popular do júri de um show da televisão alemã. Ele vive em Berlim e Los Angeles, já ganhou cinco prêmios Echo e foi indicado para um Grammy.

Dia Internacional do Jazz, em 30 de abril de 2016

© www.deutschland.de