Encontro com os grandes astros da arte

Cinco museus na Alemanha, que vocês têm de visitar, se quiserem conversar sobre arte. 

Os famosos anjos de Rafael podem ser vistos em Dresden
Os famosos anjos de Rafael podem ser vistos em Dresden dpa

Ilha dos Museus em Berlim

Porque se tem de ir lá: A Ilha dos Museus, o conjunto berlinense de cinco museus na ilha do rio Spree, faz parte dos apogeus do turismo cultural europeu.

Não se pode perder: Visite a Nefertiti no Novo Museu. O busto é tido como a mais bela escultura de mulher do mundo. Convença-se disso. Ao lado, no Museu de Pérgamo, vocês talvez fiquem arrepiados, quando passarem pela monumental Porta de Ishtar com seus brilhantes azulejos azul-cobalto e os leões em alto relevo.

Dica extra: Deliciem-se com café e torta no Café sob a cúpula do Museu Bode. Montado a cavalo, o “Grande Príncipe Eleitor” os saúda, olhando para cima.

Antiga Galeria Nacional, Berlim
Antiga Galeria Nacional, Berlim dpa

Pinacotecas de Munique 

Porque se tem de ir lá: O distrito de Maxvorstadt é um lugar importante para os aficionados da arte em Munique. Nele estão localizadas três importantes pinacotecas e outros museus de arte.

Não se pode perder: Na coleção de Rubens da Antiga Pinacoteca, vejam o quadro “O grande juízo final”. Com mais de seis metros de altura, é um dos maiores quadros do artista. Não percam também a obra juvenil de Leonardo da Vinci, “A Virgem do Cravo”. Na Pinacoteca do Modernismo, o século 20 está em casa, com Paul Klee, Franz Marc e Max Ernst.

Dica extra: Venham num domingo, assim a visita custa apenas 1 euro em cada museu.

Antiga Pinacoteca, Munique
Antiga Pinacoteca, Munique dpa

Städel em Frankfurt 

Porque se tem de ir lá: O Museu Städel no Museumsufer em Frankfurt do Meno possui mais de 3.000 obras-primas europeias de 700 anos, de Lucas Cranach e Sandro Botticelli até Gerhard Richter e Wolfgang Tillmans.

Não se pode perder: O predileto do público é o famoso quadro do príncipe dos poetas da Alemanha: «Goethe na campina romana» de Johann Heinrich Wilhelm Tischbein. Vocês sabiam que existe também uma serigrafia de Goethe, de autoria de Andy Warhol? Também ela, vocês encontram no Städel.

Dica extra: Acessem o Städel na sua casa. Na coleção digital, vocês podem pesquisar por temas e conhecer detalhes fascinantes de cada pintura.

Städel, Frankfurt
Städel, Frankfurt dpa

Museu Ludwig em Colônia 

Porque se tem de ir lá: É uma meca para os fãs da pop art e de Picasso. No Museu Ludwig, nas proximidades da catedral de Colônia, pode ser vista a maior coleção de pop art americana fora dos EUA. Além disso, o museu possui a terceira maior coleção de Picasso do mundo.

Não se pode perder: Vejam no original um dos ícones da pop art: “M-Maybe”, de Roy Lichtenstein.

Dica extra: Mostrem sua própria criatividade – no POP LAB no primeiro andar.

Museu Ludwig, Colônia
Museu Ludwig, Colônia dpa

Pinacoteca dos Mestres Antigos em Dresden 

Porque se tem de ir lá: “Cada obra, uma obra-prima” promete a Pinacoteca dos Mestres Antigos no Zwinger de Dresden.

Não se pode perder: A “Mona Lisa” de Dresden é a “Madona Sistina” de Rafael. Olhem bem os anjos na parte inferior do quadro. Vocês os reconhecem? Eles são um dos motivos mais famosos da História da arte.

Dica extra: Num caroço de cereja há lugar para 185 rostos? Deem um pulo até a Neue Grüne Gewölbe (“Nova Abóbada Verde”) e admirem a mais curiosa obra de arte de Dresden.

Pinacoteca dos Mestres Antigos, Dresden
Pinacoteca dos Mestres Antigos, Dresden dpa

You would like to receive regular information about Germany? Subscribe here: