Um vestido de leite

Cada vez mais empresas da Alemanha estão descobrindo na matéria-prima biológica a base dos seus produtos. E isto com enorme criatividade.

Matéria fluente. Um vestido de produto lácteo.
Matéria fluente. Um vestido de produto lácteo. Hans & Jung GbR

Leite para se vestir

A empresa QMilk, de Hemmingen, perto de Hanôver, produz fibras de resíduos lácteos, que não podem ser aproveitados para a alimentação de pessoas. Essas fibras de leite são produzidas sem produtos químicos, mas com cera de abelha e zinco. As matérias, que são tecidas daí, são suaves, antibacterianas e apropriadas para pessoas alérgicas.

Limpeza com palha

Muitos detergentes contêm álcool, pois este remove óleo e sujeira. A palha e outros resíduos agrícolas podem ser usados para produzir bioetanol. A marca ecológica Frosch, de Mainz, vende um detergente para superfícies, que contém restos de palha da agricultura alemã.

Fraldas compostáveis

Um bebê precisa no mínimo de cinco fraldas por dia, o que produz muito resíduo e consome muito petróleo, principalmente no interior absorvente da fralda. A empresa Fairwindel, de Brandemburgo, vende uma fralda descartável livre de substâncias químicas e completamente compostável. Apenas os fechos em velcro ainda continuam sendo de plástico.

Velas de gordura residual

As velas são geralmente feitas de parafina ou estearina. A primeira é retirada do petróleo mineral, a segunda do azeite de dendê, cujo plantio também destrói a mata tropical. A empresa Biokema, de Sünna na Turíngia, produz velas de gordura residual de restaurantes e fábricas de meios alimentícios. A gordura é purificada de tal maneira que não produz nenhum carbono quando a vela é acesa.

Xícaras de café coado

Kaffeform, uma empresa startup de Berlim, recolhe restos de café coado dos bares vizinhos, para produzir xícaras marrons para o lava-louças e copos descartáveis. Esse material biológico é produzido com a ajuda de fibras vegetais e resina biológica mediante moldagem por injeção.

Esmalte de algas

A firma Ocean Pharma, de Reinbek, produz esmalte feito de proteínas de teias de aranha e da substância da alga espirulina. O esmalte não é somente inofensivo ao meio ambiente, mas preserva também as unhas, deixando-as respirar e evitando micróbios.

© www.deutschland.de

You would like to receive regular information about Germany? Subscribe here: