“O emprego dos meus sonhos”

Quatro migrantes contam como eles encontraram um futuro na Alemanha através da manufatura.

Hedayatullah Mohammadi, sapateiro
Hedayatullah Mohammadi, sapateiro Tim Wegener

Hedayatullah Mohammadi (30 anos), do Afeganistão, é Mestre Sapateiro em Frankfurt do Meno.

 “Antes, pensava que seria um dia arquiteto ou médico. Agora, sou ambas as coisas, pois sendo Mestre Sapateiro, trato dos ferimentos dos sapatos. Além disso, meu trabalho na manufatura é uma espécie de obra de mestre. Desta maneira, acabei encontrando a profissão dos meus sonhos, mesmo que eu tenha percorrido um longo caminho. Fiquei também muito feliz em poder recentemente dar ao meu irmão uma formação de sapateiro”. 

Diaa Almoussa (29 anos), da Síria, é cabelereiro em Giessen.

Diaa Almoussa, cabelereiro
Diaa Almoussa, cabelereiro privat

“Quando vim da Síria para a Alemanha, em 2015, pude começar imediatamente com uma formação prática , conseguindo, um ano depois, uma  vaga de formação profissional. Em Damasco, já tinha financiado meu estudo de Direito como cabelereiro. Há um ano, fiz o exame de aprendiz (Gesellenprüfung) e minha próxima meta é a formação de Mestre. O maior obstáculo é a língua. Felizmente, já tinha me preocupado, desde o começo, com a língua alemã, tentando aprender bem esta língua. O que também me ajuda é que na profissão de cabelereiro se fala com muitas pessoas”.

Mohamad Hamzaalemam (25 anos) da Síria é técnico de panificação em Eberswalde. Naser Yusofzai (27 anos), do Afeganistão, é aprendiz na mesma padaria.

Mohamad Hamzaalemam, técnico de panificação, e Naser Yusofzai, padeiro
Mohamad Hamzaalemam, técnico de panificação, e Naser Yusofzai, padeiro privat

Mohamad Hamzaalemam: “Comecei a trabalhar aqui como ajudante, mas o dono logo me propôs fazer uma formação. Pensei primeiramente que meu alemão não era bom, mas então saiu tudo muito bem, pois ele me ajudou. Recebi aulas particulares e meu chefe me deu sempre um dia livre para me preparar para os exames. Desde julho de 2021, sou técnico de panificação. É muito bom ter uma perspectiva”.

Naser Yusofzai: “O mais bacana no meu trabalho é que posso criar algo com as próprias mãos. Gosto de fazer massas e de assar. E esta é a minha profissão desde o começo de 2021, pois consegui passar no exame de aprendiz (Gesellenprüfung). Agora, quero aperfeiçoar meus conhecimentos de língua e concluir a formação de Mestre em Panificação”.

© www.deutschland.de

You would like to receive regular information about Germany? Subscribe here: