Trabalhando na Alemanha

Procura de emprego, reconhecimento de diplomas e visto. O engenheiro ucraniano Maksym Babenko descreve seu caminho à Alemanha.

Maksym Babenko hat sich gut auf Deutschland vorbereitet.
Maksym Babenko preparou-se bem para vir para a Alemanha. Privat

Alemanha. O engenheiro Maksym Babenko, com 32 anos de idade, emigrou em abril de 2017 da Ucrânia para a Alemanha, para trabalhar, e encontrou um emprego em uma empresa de tecnologia de medição e controle na Renânia do Palatinado. Ele conseguiu informações úteis sobre a procura de emprego o visto e a adaptação na Alemanha no portal Make it in Germany.

Por que o senhor queria trabalhar na Alemanha?

Eu era engenheiro de projetos de automatização em usinas nucleares na Ucrânia. Meu grande sonho sempre tinha sido trabalhar em uma firma internacional, onde eu poderia continuar desenvolvendo minhas ideias e habilidades. A Alemanha é mundialmente conhecida como um país com os melhores engenheiros e para as melhores soluções de tecnologia moderna de ponta.

Como o senhor procurou emprego e se preparou para o emprego na Alemanha?

Eu realmente aprendi muito sobre este país, antes de vir para cá, começando, já na Ucrânia, a aprender alemão. Procurei um emprego na Alemanha nas grandes bolsas on-line de emprego, como stepstone.de e monster.de, e no portal make-it-in-germany.com.  que se dirige especialmente a profissionais, oferecendo importantes informações sobre a vida e o trabalho na Alemanha.  Este é um portal de internet que realmente posso aconselhar.

A vida profissional na Alemanha é intensa e exigente.

O engenheiro Maksym Babenko veio da Ucrânia para trabalhar na Alemanha

Onde o senhor encontrou apoio?

As sessões de perguntas e respostas na Twitter-Account von Make it in Germany (conta de Twitter de Make it in Germany) e um amigo, que vive na Alemanha, me ajudaram muito. Estou muito grato por essa ajuda.

Foram necessárias muitas formalidades?

Quem cumpre determinados requisitos pode receber uma Blaue Karte EU (Carta Azul UE). Para tanto, o meu diploma ucraniano teve de ser reconhecido na Alemanha. Em anabin.de, o portal de informações sobre a  avaliação de habilitações profissionais estrangeiras, pude ver que a minha universidade tinha o padrão H+, ou seja, era reconhecida como universidade na Alemanha. Além disso, a posição no contrato de trabalho e a formação têm de harmonizar. O nível de remuneração também tem de ser correspondente, o que se pode ficar sabendo em bamf.de, o Departamento Federal de Migração. Depois, recebi um visto para a Alemanha.

Como o senhor vive o dia a dia na Alemanha?

Até agora, pude fazer muitas experiências positivas. A vida profissional é intensa e exigente. Durante meus primeiros meses, tive dificuldades com o dialeto do Palatinado. Mas isto é normal para todos em um novo país e nos adaptamos rapidamente a essas particularidades.

Carreira para profissionais internacionais na Alemanha: Make it in Germany

Entrevista: Tanja Zech

© www.deutschland.de