Matemática na noite das eleições

Como as minhas duas cruzinhas se tornam um resultado das eleições ao Parlamento Alemão? Dieter Sarreither, presidente do Comitê Eleitoral Nacional, explica.

Eleições ao Parlamento Alemão em 2017. Dieter Sarreither é presidente do Departamento Nacional de Estatística e do Comitê Eleitoral Nacional
Dieter Sarreither, presidente do Comitê Eleitoral Nacional dpa

Alemanha. Que emoções estarão ligadas com o domingo das eleições, o 24 de setembro de 2017? Uma grande tensão, é claro. Sendo presidente do Comitê Eleitoral Nacional nas eleições parlamentares, sou responsável pela efetuação das eleições ao Parlamento Alemão em 2017. Esse dia é para nós uma chance única, mas é claro que estivemos preparando tudo já há semanas, para que tudo dê certo e os resultados provisórios se tornem conhecidos ainda nessa noite. Isto é o mais importante, pois os cidadãos e a mídia ficam à espera desses resultados. Para tanto, temos cerca de 200 colegas de ambos os sexos, que atuam em dois centros de cálculo, um em Wiesbaden, o outro em Berlim.

Já fizemos um teste exato nas últimas semanas, analisando as eleições com base em dados fictícios. Naturalmente, ainda não posso dizer quem vai ganhar.

Dieter Sarreither, presidente do Comitê Eleitoral Nacional

Estudei Matemática, mas não é necessário saber matemática a fundo, para acompanhar os resultados no dia das eleições. Basta saber somar, subtrair, multiplicar e dividir. O que talvez torne tudo um pouco mais complicado são as regras, isto é, o que deve ser multiplicado, o que deve ser subtraído, quando empregamos o mínimo, quando o máximo. A lei prescreve um algoritmo que instalamos em um programa eleitoral e, na noite eleitoral, vamos repassar tudo nos nossos próprios cálculos. Temos de ter certeza de que os resultados reflitam o nosso sistema de direito eleitoral. Para tanto, já fizemos um teste exato nas últimas semanas, analisando as eleições com base em dados fictícios, com mandatos de igualização, distribuição de lugares e as correspondentes participações nas eleições. Naturalmente, ainda não posso dizer quem vai ganhar. Não temos nenhum cálculo visionário. Tudo é possível.

Na noite eleitoral, quando os distritos eleitorais já tiverem contado os votos, haverá um cadeia de informação exatamente estruturada, na qual as presidências dos distritos eleitorais comunicam seus resultados aos municípios, estes os comunicam aos juízes eleitorais, estes às presidências eleitorais estaduais e, para terminar, eu recebo os resultados de 299 ausgezählten Wahlkreisen (229 circunscrições apuradas.) 

Os resultados são transmitidos ou por telefone ou por redes nacionais codificadas que, desta maneira, estão seguras contra ataques. Daí vem o mais interessante, a distribuição de lugares. Já bem cedo, o primeiro voto determina quem ganhou como candidato direto no seu círculo eleitoral. Mas o segundo voto é mais decisivo, pois determina a relação e a porcentagem que cabem a um partido no Parlamento. Tão logo todos os dados tenham sido apresentados, podemos dizer qual partido ganhou, com qual lista estadual, com quantos lugares e quais são os candidatos que irão ocupar uma cadeira no Parlamento. E isto, no mínimo como resultado provisório.

Nenhuma chance para notícias falsas

Com respeito a notícias falsas na rede e eventualmente notícias invadidas por piratas informáticos, os cidadãos e as cidadãs já estão bem sensibilizados. Apelamos a todos a não acreditar em boatos – como, por exemplo, que determinadas seções eleitorais já estejam fechadas –, mas a que cada pessoa verifique muito bem as notícias. A contagem dos votos é púbica e transparente. Preencher o voto em cédula de papel com um lápis ou uma caneta pode ser verificado claramente e é um meio seguro contra manipulações.

Cerca de 14 dias depois das eleições, o Comitê Eleitoral Nacional se reúne novamente e constata o resultado final das eleições, com base nas transcrições da noite eleitoral. Quando o nosso trabalho estiver terminado, então será a vez da política. O Parlamento Alemão tem de ser constituído e é um período de muito alvoroço para os políticos. Eu observo tudo isso de longe, pois não é mais minha tarefa. 

Protocolo: Sarah Kanning

© www.deutschland.de