Mudança com grande bagagem

Duzentos e cinquenta soldados das Forças Armadas Alemãs, seis jatos de combate e um avião-tanque são deslocados da Turquia para a Jordânia. Tudo sob o controle do coronel Frank Gräfe

“Tornado” das Forças Armadas Alemãs na base turca de Incirlik
Seis “Tornados” são transferidos para a Jordânia dpa

Desde dezembro de 2015, a Alemanha vem participando na coligação internacional contra o vulgo “Estado Islâmico” (Counter Daesh). Até agora, os soldados de ambos os sexos das Forças Armadas Alemãs estiveram estacionados na base de Incirlik, apoiando essa aliança com um avião-tanque e com voos de reconhecimento. Em começo de junho de 2017, o governo alemão decidiu retirar suas tropas de Incirlik, dado que o governo turco não permitira que deputados alemães visitassem os soldados nessa base. Os 250 soldados, seis jatos de combate do tipo “Tornado” e um avião-tanque estão sendo deslocados para a base aérea de Al Azraq, na Jordânia, para a qual Frank Gräfe foi enviado, passando lá um mês e meio para preparar a transferência das tropas. Seu entusiasmo é grande pela cooperação com os parceiros da Jordânia.

As Forças Armadas Alemãs na base turca de Incirlik: o coronel Frank Gräfe com a ministra da Defesa, Ursula von der Leyen
Coronel Gräfe com a ministra da Defesa, Ursula von der Leyen Bundeswehr

Senhor Gräfe, 250 sodados, ou seja, todo um contingente, e diversos aviões estão sendo deslocados da Turquia para a Jordânia. Como se pode imaginar uma mudança tão grande?

É realmente algo especial, pois, segundo meus conhecimentos, nunca fomos deslocados no meio de uma missão. Após a decisão política, reagimos muito rapidamente, pois não havia muito tempo para preparar a mudança. O mais importante foi diminuir ao máximo as lacunas operacionais, o que funcionou muito bem. Estive pela primeira vez na Jordânia no dia 8 de junho de 2017. Não tinham passado nem cinco semanas, e o avião-tanque já estava novamente em missão, partindo da Jordânia. E agora, quase dois meses depois, quase cem soldados já se encontram estacionados na Jordânia. Em fins de setembro, já teremos retirado da Turquia todos os soldados e todo o equipamento.

A Jordânia é um dos países mais seguros da região.

Coronel Frank Gräfe

Quando os “Tornados” partirão de Al Azraq para fazer seu primeiro voo?

No momento, estamos ocupados em transferir o chamado posto de avaliação de imagens da Turquia para a Jordânia. Ele é uma parte essencial da missão e eu o chamo de “peça central” do contingente de operações. É nele que os soldados analisam as fotos aéreas feitas pelos “Tornados”. Desmontar e montar de novo esse posto de avaliação é um trabalho muito difícil. E só quando ele estiver pronto é que precisaremos novamente dos “Tornados” no local. Nesse meio tempo, nossos aliados assumem essa tarefa. Os “Tornados” estarão voando da Jordânia o mais tardar a partir de outubro de 2017.

O senhor passou 46 dias na base na Jordânia. O que os soldados vão encontrar lá?

Meu entusiasmo é enorme pela hospitalidade dos jordanianos, pelo acolhimento tão cordial e pela cooperação espetacular. Chegamos lá sem grande preparação, mas os jordanianos nos ajudaram tanto que o avião-tanque já pôde assumir sua missão. A Jordânia é um país fascinante e hospitaleiro, oferecendo aos soldados, ao lado dos serviços, muitas possibilidades de conhecer essa interessante cultura e sua história.

A base fica somente a cerca de 50 quilômetros ao sul da fronteira entre a Jordânia e a Síria. O que o senhor diz sobre a segurança?

A Jordânia é um dos países mais seguros dessa região. É claro que as missões nunca são sem perigo, mas fazemos todo o possível para garantir a proteção e a segurança dos nossos soldados. Eu me senti lá muito seguro.

Fatos sobre a nova base
 

  • Localidade: base Muwaffak Salti Airbase em Al Azraq, Jordânia. Segundo informações dos militares da Jordânia, Lawrence da Arábia, o lendário inglês Thomas Edward Lawrence, já teria usado essa base em 1918. Essa região é considerada ideal, por causa da vista clara e do seu bom tempo. Em fins da década de 1970, a cidade de Al Azraq foi transformada em aeroporto militar.
  • Objetivo da missão: apoiar a coligação anti-EI através de reconhecimento aéreo. Os “Tornados” das Forças Armadas Alemãs sobrevoam e fotografam as ruas e pontes na Síria e essas fotos são depois analisadas pelos soldados.
  • A peça central da missão: o posto, onde se analisam as fotos, a chamada GES (Ground Exploitation Station), onde as fotos aéreas tiradas pelos “Tornados” são controladas, examinadas, ordenadas e avaliadas.
  • 250 soldados
  • 6 “Tornados”
  • 1 avião-tanque

Entrevista: Marie Busse

© www.deutschland.de