Por que temos de falar sobre terra natal

O que significa "pátria" em tempos de globalização? Uma abordagem filosófica.

Pátria é natureza e cultura, apego e relacionamento.
Pátria é natureza e cultura, apego e relacionamento. Adobe Stock/Syda Productions

Ainda podemos falar em "pátria" hoje em dia? Ou o termo é ocupado por populistas que demonizam tudo o que é estrangeiro como ameaça? Talvez precisamente porque a política, as páginas de cultura e a ciência permaneceram em silêncio sobre este assunto durante muito tempo? Então precisamos urgentemente falar sobre "pátria", sem a glorificações patéticas e sem difamá-la como prêmio de consolação para os perdedores da globalização.

Os nossos antepassados escreveram histórias sobre paisagens e lugares. Derivamos destas histórias e continuamos a escrevê-las. Pátria é, portanto, natureza e cultura, origem e futuro, perseverança e mudança.

Carnaval e indústria – também isso caracteriza uma pátria. Foto da série „Heimat // Bilder“ de Matthias Burchardt
Carnaval e indústria – também isso caracteriza uma pátria. Foto da série „Heimat // Bilder“ de Matthias Burchardt
Matthias Burchardt

Pátria é também vínculo e relação: com tipos de pessoas, hábitos, tradições, costumes, festas, rituais, atitudes, dialeto, nomes de lugares, histórias, comidas, cheiros, sons, clima e paisagem me são familiares, formam um momento de minha identidade pessoal, na melhor das hipóteses, uma fonte de energia. As pessoas precisam desta intimidade para uma vida próspera. Pessoas desenraizadas são vulneráveis..

Banir pessoas de sua terra natal é um crime contra a humanidade.

Filósofo da educação Matthias Burchardt

Algumas pessoas deixam sua terra natal e - possivelmente - encontram um novo lar em outro lugar. No entanto, isto só é possível depois de muitos anos de adaptação.  Expulsar pessoas da sua terra natal é um crime contra a humanidade, pois elas não só são privadas dos seus bens e das suas casas, também uma parte da sua identidade é roubada. A solidariedade com os sem-pátria deriva da compreensão compadecida desta perda profunda.

Mesmo quem não muda de lugar pode ser sem pátria

A pátria está em constante perigo. Guerras, perseguições políticas, crises econômicas e ecológicas expulsam as pessoas da sua terra natal. A modernização, a digitalização, a globalização, a ideologização, a mercantilização e a migração estão afastando as pessoas dos seus países de origem.

Até mesmo quem não deixa sua terra natal pode ser afetado, quando as sociedades se transformam e as tradições se fragilizam, quando a coesão social se desintegra.

Não o aconchego da terra natal, mas sim sua destruição causa radicalismo, extremismo e violência.

Matthias Burchardt
Dr. Matthias Burchardt é assessor acadêmico do Instituto de Filosofia da Educação, Antropologia e Educação para a Vida na Universidade de Colônia.

© www.deutschland.de

You would like to receive regular information about Germany?
Subscribe here: