Entre ceticismo e otimismo

O que sensibiliza os jovens na Alemanha e em outros países da Europa – resultados do estudo “Geração What”, realizado em toda a Europa.

picture alliance/McPHOTO - Generation What

Você ainda mora na casa dos seus pais? Você poderia ser feliz sem o direito de votar? O que significa para você, ter um relacionamento? Essas e quase 150 outras perguntas foram respondidas na internet, nos meses passados, por mais de 900.000 participantes de toda a Europa. O estudo “Geração What” é assim o maior estudo juvenil que já foi realizado em toda a Europa.

A enquete feita entre jovens de 18 até 34 anos tratou de todos os setores da vida: educação e profissão, mídia e política, família e amizades. O estudo foi lançado por emissoras europeias de rádio e de televisão, entre outras, participaram as emissoras alemãs ZDF e Bayerische Rundfunk. O Instituto Sinus analisou as respostas dos participantes da Alemanha.

Pela diversidade, contra o nacionalismo

Alguns dos resultados principais: os jovens na Alemanha estão insatisfeitos com muitas coisas. Eles têm pouca confiança sobretudo na política. Além disso, somente um quarto deles acha que o sistema educacional prepara bem os jovens para o mercado de trabalho. Apesar disso, a maioria vê o futuro com otimismo. Como se pode combinar isso? Os jovens têm, afinal, experiência com crises, segundo a explicação dos pesquisadores do Instituto Sinus.

Recentemente, a crise dos refugiados pôs a sociedade diante de desafios. Isso, porém, não levou os jovens na Alemanha a rechaçar a diversidade. Na sua maioria, eles apoiam a ideia de uma sociedade multicultural e rechaçam o nacionalismo. Quase quatro quintos dos indagados sentem-se como europeus. Aos seus olhos, a União Europeia é proveitosa para a Alemanha, mas respostas para as grandes questões do futuro ela não oferece.

Em outros países, é mais forte a crença no modelo da União Europeia, especialmente entusiasmados são os jovens participantes do estudo na Suécia, Noruega e Dinamarca. Na sua maioria, eles consideram a União Europeia como “o único projeto verdadeiro para o futuro”. Para os jovens na Bielorrússia, Polônia, Croácia, Suíça e Turquia, ao contrário, Europa “não é mais que o nome de um continente”. Em toda a Europa, os entrevistados são absolutamente unânimes no que se refere ao seu modelo favorito de vida para o futuro: em todos os países, a maioria se vê futuramente como “casado ou numa parceria registrada”. Já a Igreja é motivo de rejeição coletiva. “Você poderia ser feliz sem a fé em (um) Deus? ” – essa pergunta foi respondida pela maioria dos jovens de todas as partes com um “sim”.

www.sinus-institut.de

www.generation-what.de

© www.deutschland.de