Integrar o Leste europeu através da pesquisa

Com maior cooperação na educação e na inovação, a Alemanha pretende criar impulsos nos outros países da UE, durante sua presidência no Conselho Europeu.

Osteuropa durch Forschung einbinden
dpa

Berlim (dpa) – A presidência alemã do Conselho da UE terá este ano também a meta de integrar mais fortemente os países do Leste europeu, segundo informações da ministra alemã da Pesquisa, Anja Karliczek. Através de educação, pesquisa e inovação, pretende-se criar prioridades visíveis, dar impulsos e assim, integrar todos os demais países membros da UE, afirmou Karliczek à agência Deutsche Presse Agentur (dpa).

«Disso faz parte também a melhor integração dos países membros que são menos ativos na pesquisa». Exatamente os mais novos países membros no Leste europeu precisam ser integrados. «Essa é uma contribuição para que a comunidade europeia permaneça coesa», declarou Karliczek.

Segundo a ministra da Pesquisa, trata-se concretamente de um fortalecimento da cooperação e de projetos conjuntos no setor do hidrogênio verde – ou seja, a produção de hidrogênio com a utilização de energias renováveis. «Pretendemos fixar as prioridades no desenvolvimento de tecnologias para a produção, o aproveitamento e o transporte de hidrogênio verde», afirmou Karliczek. Nessa questão, a Alemanha e a UE «têm de manter-se à frente e, por isso, intensificar a pesquisa do hidrogênio em toda a Europa».

No segundo semestre de 2020, a Alemanha assume por seis meses a presidência do Conselho da UE, conforme o sistema de rotatividade.

Fonte: dpa; tradução: deutschland.de