Scholz insiste numa reforma tributária global

O ministro alemão das Finanças vê oportunidade de rápido acordo sobre uma reforma tributária global para empresas internacionalmente ativas – com um imposto mínimo e digital.

Scholz dringt auf globale Steuerreform
dpa

Berlim (dpa) – O ministro alemão das Finanças, Olaf Scholz (SPD), está pressionando para um acordo rápido sobre reforma tributária global para empresas internacionalmente ativas. «É preciso que isto ocorra este ano», declarou o vice-chanceler da Alemanha na terça-feira, antes de uma videoconferência dos ministros das Finanças do grupo das principais nações econômicas (G20). Scholz disse que sua preocupação central é tributar a economia digital. «Este acordo também é possível no verão». Segundo recente proposta da secretária do Tesouro dos EUA, Janet Yellen, também uma taxa mínima de imposto para tais empresas torna-se agora realista.

Embora o ex-presidente americano Donald Trump tenha rejeitado em particular o imposto digital, a nova administração do presidente americano Joe Biden é mais aberta e conta com uma solução de compromisso no âmbito das negociações da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Recentemente, Yellen havia feito campanha por um imposto mínimo global para as empresas e criticado a concorrência tributária internacional.

Um acordo sobre a reforma tributária está sendo buscado na OCDE até meados do ano. A reforma global poderia gerar até 100 bilhões de dólares (cerca de 84 bilhões de euros) em impostos adicionais a cada ano em todo o mundo. A reforma fiscal global planejada consiste, entre outras coisas, de um imposto mínimo global. O segundo pilar é um imposto digital, que exigiria que gigantes da internet como Amazon, Google ou Apple tenham de pagar impostos não apenas em suas sedes, mas também nos países onde realizam suas vendas.

Fonte: dpa; tradução: deutschland.de