Ser curioso é ter sucesso

Ciências naturais interessantes. Jovens inventores entram em disputa no concurso “A juventude pesquisa”. Para alguns, este é o começo de uma grande carreira. 

Jugend forscht
dpa

Alunos muito interessados pesquisam as fontes sustentáveis de energia, o emprego da tecnologia nano e os complexos problemas da matemática financeira, comprovando seus conhecimentos, há mais de 50 anos, no concurso "A juventude pesquisa".  Em 1965, Henri Nannen, então redator-chefe do magazine “Stern”, criou esse concurso. Nos seus primeiros anos, essa competição contou com pouco menos de 250 concorrentes. Hoje, são mais de 12 mil. Os mais jovens são alunos da quarta série primária, enquanto os mais velhos têm 21 anos. Entre os vencedores dos últimos decênios existem muitos que fizeram depois uma carreira impressionante, não necessariamente nas ciências naturais. Três exemplos interessantes.

Emprego ideal como químico – Jens Weidmann,  presidente do Banco Federal Alemão 

Jens Weidmann
Jens Weidmann dpa

Juros baixos, conjuntura e crise europeia são os temas que ocupam Jens Weidmann hoje, como presidente do Banco Federal Alemão. Permanganato de potássio, oxigênio e amônio eram as palavras-chave que o ocupavam há cerca de 30 anos, quando era aluno na cidade de Backnang, em Bad Württemberg. Esta cidade fica às margens do Murr. Weidmann e um colega de escola examinaram a situação desse rio, conquistando em 1984 o terceiro lugar no concurso estadual de química de “A juventude pesquisa”. Naquela época, Weidmann disse que iria estudar química e talvez fazer seu doutorado nessa disciplina.  Mas o que aconteceu foi outra coisa. Weidmann se tornou economista, o mais importante assessor econômico da chanceler federal Angela Merkel e assumiu, depois, o mais importante cargo no mundo da moeda alemã.

Do prêmio juvenil à cátedra de Física – a pesquisadora Gisela Anton

Gisela Anton
Gisela Anton Universität Erlangen

Bastou somente um passeio para que Gisela Anton encontrasse o seu tema para o concurso "A juventude pesquisa", de 1975. Na época, ela tinha 20 anos de idade, quando se perguntou: Por que aquela grande viga de madeira não flutua horizontalmente na água, mas está atravessada? “Somente uma ponta surgia da água”, descreve ela a sua surpresa naquela época. Ela pesquisou isso a fundo, experimentando e calculando, até que descobriu – como uma amadora – que determinados movimentos giratórios fazem a viga de madeira perder a sua estável posição horizontal na água. Com essa contribuição, Anton ganhou o primeiro prêmio. Hoje, ela é professora titular da cátedra de Física na universidade de Erlangen.

“Mais do que a escola” – o empresário Andreas von Bechtolsheim

Andreas von Bechtolsheim
Andreas von Bechtolsheim Norbert Stuhrmann, Creative Commons Attribution-Share Alike 3.0 Unported license

CC 3.0 Unported license

Andreas von Bechtolsheim é um dos mais bem sucedidos empresários alemães nos EUA. Calcula-se que a sua fortuna chegue aos quatro bilhões de dólares. Ele foi um dos primeiros investidores a apostar no Google. Em 1974, von Bechtolsheim ganhou o concurso de física de “A juventude pesquisa”, pois tinha construído um aparelho que, usando ondas ultrassônicas, possibilitava uma medição exatíssima de correntes. O concurso o teria “ajudado mais do que a escola”, disse ele mais tarde. Depois de ter terminado a escola, ele foi estudar nos EUA, começando a se interessar pela internet. O começo de uma fabulosa carreira.

© www.deutschland.de