Redes universitárias sustentáveis para a Europa

Estas redes são inovadoras, internacionais e combatem a mudança do clima. Um apanhado geral sobre três redes universitárias europeias.

Ligada à natureza. A pesquisa marinha na Universität Kiel
Ligada à natureza. A pesquisa marinha na Universität Kiel Jan Steffen, GEOMAR

A mudança do clima e suas soluções sustentáveis são os temas centrais das redes universitárias europeias, promovidas pela UE. Inúmeras universidades alemãs participam dessas redes. Apresentamos aqui três redes que desenvolvem boas ideias na  luta contra a mudança do clima.

UNITE!

No verão europeu de 2020, três parceiras da rede de universidades europeias UNITE! fizeram uma “viagem às estrelas”.  Os estudantes da Technische Universität de Darmstadt, da Universidade de Lisboa e do Politecnico di Torino trabalharam juntos em uma Escola Virtual de Verão, em busca de soluções para a construção de um biorreator que venha produzir alimentos e medicamentos terapêuticos para futuros habitantes de colônias no universo. A própria UNITE! também tem orientação no futuro, pois pretende dar impulso ao intercâmbio europeu, unindo-se a outros associados da Finlândia, da França, da Suécia e da Espanha.

European University of the Seas (SEA-EU)

A educação seria um “catalisador central da transformação” que conduziria até a proteção do clima.  Esta é a proposição das universidades que participam no projeto da UE “Universidades dos Oceanos” (SEA-EU), cujo ponto central é a pesquisa marinha. “Os desafios sociais, como a mudança do clima ou o aproveitamento de recursos dos oceanos, podem ser apenas resolvidos através de projetos que tomem em consideração mais de uma disciplina e que incluam as diversidades culturais”, diz Nina Keul, do Instituto de Geologia da Universität Kiel. A esta cidade portuária do norte da Alemanha, uniram-se as universidades de outras cidades portuárias da França, Croácia, Malta, Polônia e Espanha, formando a SEA–EU.

European University Alliance for Global Health (EUGLOH)

Um seminário online, realizado em julho de 2020 pelos cinco parceiros da EUGLOH, vindos da Alemanha, da França, de Portugal, da Suécia e da Hungria, comprovou a qualidade interdisciplinar do intercâmbio das redes universitárias europeias. Lá, os estudantes de mestrado e os doutorandos abordaram juntos as questões do envelhecimento, da mudança do clima e da participação cívica . A Ludwig-Maximilians-Universität (LMU) de Munique, a parceira alemã, dispõe de uma instalação especial, o Center for International Health, que já vem se ocupando há muito tempo com a relação entre a mudança do clima e a saúde, cooperando também com instituições da África, da América e da Ásia.

© www.deutschland.de

You would like to receive regular information about Germany? Subscribe here: