Paisagens fluviais maravilhosas

A série “Descubra a Alemanha” (“Entdecke DE”) nos leva em uma viagem através da Alemanha. Desta vez, por paraísos terrestres recuperados.

A margem renaturalizada do Meno em Frankfurt.
A margem renaturalizada do Meno em Frankfurt. Eckhard Krumpholz/Umweltamt der Stadt Frankfurt am Main

Alemanha. Livres de sujeira e de estreitos canais de concreto. A renaturalização de rios serve para proteger a natureza e evitar inundações, proporcionando-nos maravilhosas paisagens e novos espaços de lazer.

Isar

Banhar em dias quentes de verão no centro da grande cidade é uma das mais lindas experiências em Munique. Trechos das margens do Isar foram aplainados e o leito desse rio foi alargado. Desde então surgiram bancos de cascalho, pequenas ilhas e tanques rasos que evitam a inundação. As águas verdejantes desse rio atraem  martim-pescadores e patos.

Isar
dpa

Ruhr

A maior zona urbana da Alemanha, com a mais densa população, leva o nome deste rio: a região do Ruhr. Aqui vivem 5,2 milhões de pessoas em 4 435 quilômetros quadrados. Durante longo tempo, muitos trechos do Ruhr tinham sido canalizados, oferecendo um triste habitat. Neste meio tempo, suas águas correm novamente sobre grandes trechos de leito natural, tornando-se o habitat de muitos animais e convidando muitas famílias a banhar. 

Ruhr
dpa

Emscher

Ainda há poucos anos, o Emscher tinha a fama de ser o rio mais sujo da Europa. Esse afluente do Reno transportava as águas residuais das cidades e dos poços das minas de carvão. Até a feira de jardinagem Landesgartenschau de 2020, um canal subterrâneo de águas residuais deverá estar construído. Assim, o Emscher, esse corredor de águas verde-azuis que une as grandes cidades de Dortmund, Bochum, Gelsenkirchen, Essen, Duisburg e Oberhausen, deverá ficar novamente limpo.

Meno

Ainda existem canteiros de obra no Main (Meno). Um dos maiores projetos de renaturalização na região de Frankfurt reativará, até 2020, um velho braço do Meno, para que este se torne novamente um habitat de peixes e anfíbios. Se bem que não se recomende banhar, por causa da má qualidade da água, o novo parque nas margens do rio da metrópole financeira é um lugar predileto de lazer, esporte e cultura.

Main
Eckhard Krumpholz/Umweltamt der Stadt Frankfurt am Main

Elba

Em um Elbschleife (meandro do Elba) na Saxônia-Anhalt ainda existe uma das mais raras vegetações fluviais da Alemanha, a Hohe Garbe. Em períodos de chuva, essa região suga água como uma esponja. Ela oferece um habitat para muitos animais, como as bombinas, as pererecas e as cegonhas. O rio Elba, quase sem lodo, corre quase 1 100 quilômetros, vindo do norte da República Tcheca, passando por Dresden, Magdeburgo e Hamburgo, para desaguar no Mar do Norte.

Elbe
dpa