Este é o emprego do futuro?

Ganhar dinheiro postando vídeos na internet. Uma nova academia de Berlim forma influenciadores. Como suas atividades influenciam a economia.

Influencer: Youtuberin Finja und Svea
dpa

Alemanha. Como é próprio de bons amigos, eles também influenciam a moda, aconselham o uso de determinados produtos cosméticos e meios alimentícios ou vibram com uma fantástica viagem de férias. Estes são os chamados influenciadores, pessoas que podem influenciar digitalmente a opinião dos outros, por causa da sua forte presença e grande reputação na mídia social. Por isso, eles despertam o interesse da economia. Agora, as pessoas podem ter uma formação profissional para se tornar um influenciador. Uma entrevista com Sascha Schulz, um dos fundadores da Influencer Marketing Academy (IMA) de Berlim.

Senhor Schulz, o senhor foi em setembro de 2017 um dos fundadores da primeira Influencer Marketing Academy da Alemanha. Quando o senhor teve essa ideia?

A repercussão dessa oferta é extraordinária. É claro que acertamos em cheio! Introduzimos a IMA em nosso ecomex, nosso centro de carreira e de fundadores, dado que o marketing dos influenciadores ampliou, nos últimos dois anos, o on-line-marketing “tradicional”, transformando-o em uma disciplina séria e muito efetiva. Já há mais de dez anos, estamos tendo em ecomex  experiências e transferência de conhecimento em torno da digitalização. Vimos que existe a necessidade de aperfeiçoamento em ambos os lados da Social Media Influencing, ou seja, tanto com respeito às empresas como aos bloggers, aos usuário de Youtube e a outros atores. As empresas alemãs ainda estão demonstrando muita cautela em relação ao marketing de influência. Parece que a maioria das firmas regionais e locais não compreende o potencial lá existente, ao contrário do que acontece no estrangeiro.

Sascha Schulz e Niko Martzy, fundadores da IMA
Sascha Schulz e Niko Martzy, fundadores da IMA IMA

Acertamos em cheio

Sascha Schulz, um dos fundadores da Influencer Marketing Academy de Berlim

Por que a atividade de um influenciador é tão atraente?

Os influenciadores adoram ter a liberdade de usar sua paixão para produzir conteúdos de textos e de imagens. Eles adoram a liberdade e a criatividade. Há 20 anos, muitos deles teriam tido, com certeza, a vontade de se tornar jornalistas ou editores. Hoje, a moda na mídia social é “self publishing”. Como também acontece em outros ramos da mídia, as cooperações com a economia são também uma possibilidade de refinanciar a própria atividade.

A profissão de influenciador tem a garantia de ser estável?

Só poucos influenciadores vivem completamente disso. Para a maioria deles, a influência é uma atividade paralela à sua profissão principal ou um hobby com benefícios.

O que é necessário para esse curso de especialização?

As publicações de influenciadores baseiam-se em autenticidade. A condição básica é ter um interesse próprio confiável. A nossa academia ensina a usar a ferramenta para elaboração de conteúdos interessantes, transmitindo as condições básicas jurídicas e empresariais. Mas a ideia do projeto tem de ser do futuro influenciador.

Do lado empresarial, habilitamos os peritos em marketing e os “gerentes de relacionamento” a cooperarem com os influenciadores.

Quais são as dicas mais importantes para uma carreira de influenciador?

A percentagem de cooperações pagas em todas as postagens não deveria ultrapassar um quarto a um terço, pois, do contrário, a credibilidade sairia perdendo. Uma cooperação tem de combinar com o perfil do influenciador. A comunicação visual não deve parecer artificial, pois, de outro modo, isso seria embaraçoso para o influenciador e para as marcas. Na mídia social, a “content creation” significa criar textos, imagens e filmes extraordinários, com um toque pessoal. Nada de repetição, mas uma verdadeira narração. Com o passar do tempo, isto se torna um desafio. Importante é também conhecer e observar as diversificações das condições básicas, como, por exemplo, para a caracterização de cooperações, expedientes, proteção de dados, direitos autorais e proteção de marcas.

Não teria sido melhor para o senhor contratar um influenciador para tornar a Academy mais conhecida, em vez de dar esta entrevista?

Os influenciadores da mídia social, os jornalistas e as empresas de comunicação são um perfeito complemento, que contribuem para uma imagem pluralista em uma sociedade. Uma casa editora nunca relataria sobre tantas inovações, marcas e prestações de serviço interessantes. E um influenciador nunca poderia fornecer essas informações em toda sua amplitude e intensidade.

Entrevista: Martin Orth

© www.deutschland.de